Reprodução / TV Guanambi

O pastor Hélio Correia, da Igreja Paz e Vida, usou a tribuna livre da Câmara Municipal de Guanambi para exigir mais segurança no trânsito na Av. Santos Dumont.

O pedido enfático veio após a morte da senhora Lourdes Bezerra de Castro, 78 anos, conhecida como “Dona Tinha”, ocorrida no último dia 4, após ser atropela por um automóvel enquanto atravessava a avenida depois do culto.

Segundo o pastor, desde 2014, igreja e fiéis pedem ao poder público a instalação de  um redutor de velocidade no local. “Não foi um tragédia que não teve um anúncio, ela tinha anúncio. Eu pensava que era uma criança que ia morrer. Anuncie para o poder público que poderia morrer uma criança naquela Avenida Santos Dumont. Porque desde 2014 a gente vem pedindo um quebra-molas, um redutor, uma lombada”, disse.

O religioso disse que a resposta aos apelos foi de que foram realizados estudos que apontaram que o local não precisa de um redutor de velocidade. “Uma senhora que a gente tinha muito cuidado com a travessia dela para o bairro Vomitamel, mas ela foi passar e o carro bateu nela. E ela morreu naquela noite mesmo, foi algo muito triste”, disse.

Por fim, o pastor fez o seu apelo às autoridades municipais para que tomem providências para garantir a segurança na avenida. Ele entregou uma abaixo-assinado com mais de mil assinaturas.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

“Nós vamos tomar providências, não sei em qual instância nós vamos chegar, mas vocês são quem o povo elegeu para estar aqui. Vocês têm uma missão, porque nós vamos construir aquele quebra-molas ou aquele redutor. No começo eu fique desesperado, mas depois eu entendi. Ela não morreu em vão e não vai morrer mais ninguém”

A maioria dos vereadores se solidarizaram com a família e amigos da senhora Lourdes e endossou o pedido pelo quebra-molas. O líder do Governo, vereador Agostinho Lira (PSDB), disse que irá solicitar pessoalmente ao prefeito a uma solução para o local.

Lira ressaltou que o quebra-molas tem utilidade, mas não é a solução. Ele disse que é necessário educar a população e punir aqueles que trafegam em vias públicas em alta velocidade, com instalação de radares e câmeras. “Quanto mais quebra-molas uma cidade tem, mais mal educado é seu motorista”.

Lira lembrou que muitos motociclistas irresponsáveis fazem os quebra-molas de rampa e que acidentes também acontecem em locais onde há esses redutores de velocidades.

A fala do pastor começa a partir de 28 minutos da transmissão.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui