Divulgação

O Bahia entra em campo nesta segunda-feira (21), às 19h30, no estádio de Pituaçu, contra o Ceará, vestindo o uniforme com referência ao desastre ambiental nas praias do Nordeste. Segundo o Clube, as camisas “manchadas de óleo” serão leiloadas e a renda será revertida ao trabalho de limpeza das praias.

“A repercussão tá linda. Linda demais! Mas não ficaremos nisso. Camisas da ação serão leiloadas com renda revertida ao trabalho de limpeza das praias com manchas de óleo na Bahia #BBMP”, afirmou o clube.

Leia também: Rui Costa e Ricardo Sales batem boca no Twitter

O time anunciou a ação em suas redes sociais neste domingo (20). “Por medidas de redução do impacto ambiental e pela punição aos responsáveis, nosso uniforme estará manchado de óleo no jogo de amanhã – como as praias do Nordeste”, diz a publicação do Twiiter.

O tricolor também publicou um texto-manifesto sobre o desastre ambiental. Leia abaixo:

“O problema é seu. O problema é nosso.

Quem derramou esse óleo? Quem será punido por tamanha irresponsabilidade? Será que esse assunto vai ficar esquecido?

O Bahia é você, somos nós, cada ser humano.

É a forma como representamos o amor, o apego, o chamego, o sagrado, a justiça. O Bahia é a união de um povo que vibra na mesma direção, que respira o mesmo ar e que depende da mesma natureza para existir, para sobreviver.

Um convite à reflexão: o que faz um ser humano atacar e destruir espaços sagrados? O lucro a qualquer custo pode ser capaz de destruir a ética e as leis que regem e viabilizam a humanidade?

A barbárie deve ser tratada como tal, não como algo natural”.

Entenda o caso:

Desde o começo de setembro, manchas de óleo começaram a aparecer em praias do nordeste. De lá para cá, as manchas foram identificadas em pelo menos 105 locais de 46 municípios em oito estados: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe.

Segundo o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), a análise das amostras do óleo feitas pela Petrobras e pela Marinha revelou que a substância é petróleo e não é de origem brasileira. Em nota, a Petrobras afirma que o material encontrado não é produzido e nem comercializado pela empresa, mas explica como a análise foi feita.

Em Salvador as equipes da prefeitura e voluntários fazem mutirão para limpar as praias atingidas. 90 toneladas de material foram retiradas pelo órgão de limpeza em 15 praias e mais de 400 agentes estão envolvidos na operação.

Não se tem informações sobre a origem do óleo e nem os responsáveis pelo fato.

Via BNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui