Uma resolução publicada no Diário Oficial da União de hoje (4) pelo Comitê Federal de Assistência Emergencial reconhece o chamado Sistema Acolhedor como a base oficial para o cadastro de imigrantes vindos da Venezuela.

É por meio dessa base de dados que a interiorização do imigrante, para trabalho, reunificação familiar ou reunião social, é feita.

Em outubro, o governo federal informou que pretende ampliar o número de municípios brasileiros que recebem migrantes e refugiados venezuelanos.

O propósito do governo é interiorizar a acolhida, e criar melhores oportunidades de inserção dos migrantes da Venezuela no Brasil.

Até agosto, o Brasil contabilizava 14.643 refugiados e migrantes do país vizinho em mais de 250 municípios. Mais de nove mil deles entraram este ano no país.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Desde 2017, mais de 200 mil venezuelanos já entraram no Brasil fugindo da crise econômica, política e social que atinge a Venezuela.

De acordo com estimativas do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), entre eles estão quase dez mil crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, considerando o período de 2015 a 2019. O número é uma projeção, já que não há um dado oficial.

Edição: Kleber Sampaio

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui