Foto: Tiago Marques / Agência Sertão

As chuvas do começo do mês foram fundamentais para o início da recuperação dos níveis das barragens de Ceraíma e Poço do Magro, ambas em Guanambi. O pluviômetro da Agência Sertão registrou acumulado de 215 mm entre o dia 31 de dezembro e 7 de janeiro.

As duas barragens juntas receberam cerca de 5,5 milhões de metros cúbicos desde a medição, ocorrida no dia 27 de dezembro, realizada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf).

Juntas, as duas barragens armazenam atualmente 45,8 milhões de metros cúbicos. A capacidade somada é de 82,9 milhões de metros cúbicos.

Construída na década de 60 com capacidade para armazenar 58 milhões de metros cúbicos, a barragem de Ceraíma possui atualmente volume útil de 45,9 milhões de metros cúbicos. Desde 2018, a Agência Nacional de Água (ANA) redimensionou a capacidade da barragem devido à ação do assoreamento natural.

Na última medição, a barragem estava com volume de 33,45 milhões de metros cúbicos, o equivalente a 72% do volume útil. O lago estava com 62% de sua capacidade no início do mês de dezembro, tendo recuperado 10% de seu volume antes das chuvas dos últimos dias.

A cota registrada nesta segunda-feira (6) corresponde a 36,9 milhões de metros cúbicos ou 80% da capacidade útil da barragem. Para atingir o seu vertedouro, ainda faltam 3,4 metros.

A água de Ceraíma tem como principal uso a irrigação, tendo sido reinaugurado no ano passado o perímetro irrigado após cerca de 10 anos de inativação. A água também abastece comunidades vizinhas e complementa o Sistema Adutor do Algodão.

Já a barragem do Poço Magro, inaugurada no início dos anos 2000, possui capacidade bruta para armazenar 37 milhões de metros cúbicos. No registro do última dia 27, o lago estava com apenas 6,84 milhões de metros cúbicos, o que corresponde a 18,5% de sua capacidade.

Com as recentes chuvas, o volume aumentou para 8,9 milhões de metros cúbicos. Este volume corresponde a 24,1% da capacidade total e armazenamento.

Ao contrário de Ceraíma, a trajetória de queda no volume ainda não havia sido interrompido pelas chuvas do ano passado. Desde fevereiro de 2018, o lago do Poço do Magro vem diminuindo de volume. Neste período, houve redução de cerca de 2/3 da quantidade de água armazenada.

A água do Poço do Magro é usada para abastecimento de comunidades rurais e de caminhões pipa, principalmente obras de construção civil.

Na região, a Codevasf também é responsável pelas barragens do Estreito e de Cova de Mandioca, ambas no município de Urandi. A barragem do Estreito está com 11,96 milhões de metros cúbicos, equivalente a 19% do volume útil. Já a barragem de Cova da Mandioca armazena atualmente 10,22 milhões de metros cúbicos, ou 8% do volume útil.

Investimento de meio milhão na manutenção de Ceraíma

A Codevasf vai investir cerca de R$ 500 mil em serviços de manutenção preventiva da barragem de Ceraíma.

Entre os serviços está a limpeza da vegetação, colocação de colchão de brita, construção de escada, guarda-corpos, replantio de grama, recomposição do meio fio, instalação de drenos e construção de novas cercas e portões.

Segundo a Codevasf, as medidas visam garantir a segurança a estabilidade da barragem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui