Foto: Tiago Marques / Agência Sertão

Foi grande a expectativa dos moradores de Ceraíma durante toda esta quarta-feira (15) em torno do possível sangramento da barragem da localidade, principal reservatório de água da Região de Guanambi.

Com chuvas acima de 100 mm nas últimas 24 horas em toda a bacia hidrográfica do rio Carnaíba de Dentro, muita água foi acumulada no lago que chegou a 97% de sua capacidade total, que é de 51,09 milhões de metros cúbicos.

movimentação de populares foi grande no decorrer do dia na barragem – Foto: Tiago Marques / Agência Sertão

Este é o maior volume registrado em Ceraíma desde janeiro de 1992, quando a água atingiu o vertedouro pela última vez. Na ocasião, muitos transtornos foram causados pelo alagamento em todo o curso do rio Carnaíba de Dentro.

De domingo (12) até o fim da tarde desta quinta-feira, o lago teve acréscimo de 3,6 milhões de metros cúbicos, ficando a pouco mais de 1 milhão de metros cúbicos de sua capacidade de armazenamento. No mesmo período, o nível do lago subiu 0,75 m.

Nível máxima da Barragem de Ceraíma é em 515 metros acima do nível do mar – Foto: Tiago Marques / Agência Sertão

O período chuvoso iniciado em outubro foi bastante significativo para a recuperação da barragem. No início de dezembro, o armazenamento era de 58%, tendo aumentado quase 21 milhões de metros cúbicos no período. Em Guanambi, à jusante de Ceraíma, o acumulado no período registrado pelo pluviômetro da Agência Sertão no centro da cidade é de 796 mm.

Moradores das regiões dos distritos de Morrinhos, em Guanambi, e Guirapá, em Pindaí, registraram acumulados variando de 900 a 1080 mm. São nessas localidades que estão localizadas as principais vertentes do rio Carnaíba de Dentro.

Rio Grande, formador do Carnaíba de Dentro, na divisa dos municípios de Caetité e Guanambi na manhã desta quarta-feira (15) – Leitor Agência Sertão.

A expectativa dos moradores é de que o nível da barragem continue subindo nas próximas horas, no entanto, é difícil afirmar se a água que falta chegar será suficiente para atingir o vertedouro. Causa ocorra o vertimento, não é provável que haja enchentes como ocorrido em 1992, pois naquela ocasião continuou chovendo bastante após o nível ser atingido.

A última vez que a barragem ficou próxima de atingir a sua capacidade máxima foi em 2016. Na ocasião, seu nível ficou a 0,82 metros do vertedouro no fim do mês de janeiro. Entretanto, naquele ano, não ocorreram mais chuvas significativas nos meses seguintes.

Os modelos meteorológicos apontam que o tempo deve continuar chuvoso pelo menos até sexta-feira (17), no entanto, os volumes esperados são bem menores do que os registrados nas próximas horas, com previsão de acumulados entre 10 e 30 mm. Para as próximas semanas não há previsão de chuvas significativas, devendo ocorrer apenas pancadas isoladas antes do início do período seco na região.

Construída na década de 1960, a Barragem de Ceraíma armazena a água usada no perímetro irrigado do distrito de mesmo nome. No final da década passada, a barragem passou por sua maior seca, chegando próximo ao volume morto, interrompendo a atividade de irrigação no local. Em 2019, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) concluiu a revitalização do perímetro de irrigação e os proprietários dos 112 lotes voltaram a ter água para tocar suas atividades.

As recentes chuvas também contribuíram para o aumento do nível do reservatório da barragem do Poço do Magro, no entanto, os dados ainda não foram atualizados pela Codevasf. Até a última atualização, na sexta-feira (10), o lago tinha cerca de 52% de sua capacidade.

Imagens mostram volume de água na ponte do Riachão, formador do lago da barragem, na manhã desta quarta-feira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui