As filas para o saque do auxílio emergencial em decorrência da crise causada pela pandemia do novo Coronavírus têm sido cada vez maiores em diversas regiões do país. O benefício está sendo pago a trabalhadores informais, microempreendedores individuais e desempregados.

Em Guanambi, as pessoas estão cada vez mais aglomeradas devido à quantidade de gente em busca dos R$ 600 ou R$ 1.200, valor definido pela composição familiar. A Agência Sertão colheu relatos de pessoas que chegaram à fila antes de amanhecer o dia e só conseguiram sacar o benefício no final da manhã.

São pessoas com doenças crônicas, como hipertensão e diabetes. Alguns beneficiários precisam fazer as necessidades fisiológicas com frequência e não há disponibilidade de bainheiro público no centro da cidade. Muitos usam máscaras para se protegerem, no entanto, muita gente ainda não aderiu ao assessórios recomendados pelas autoridades de saúde afim de evitar o contágio pelo Coronavírus. A cidade não tem casos confirmados da Covid-19.

“Seria bom se a prefeitura disponibilizasse pelo menos aqueles banheiros químicos para quem está na fila possa usar. Não há um público e os comércios não suportam atender a tantas pessoas”, disse uma mulher diabética que esperava na fila há pelo menos duas horas e ainda estava longe de ser atendida.

“Eu sofro de problema de próstata e preciso a todo o momento ir ao banheiro. A gente acaba passando mal para não perder o lugar na fila, e nem sabe onde vai achar banheiro pra poder sair do aperto”, disse o homem de aproximadamente 55 anos.

Na semana passada, a reportagem conversou com o gerente de uma das lotéricas do Centro da cidade. Ele disse que tem tomado todos os cuidados para evitar as aglomerações dentro do estabelecimento, limitando a entrada de clientes ao número de caixas disponíveis. No entanto, afirmou não conseguir controlar a fila do lado de fora, pois o número de pessoas a procura de atendimento tem sido muito grande.

Hoje ele disse que muitos beneficiários chegam à lotérica com dificuldades para ativar o aplicativo disponibilizado pela Caixa. Além disso, a ferramenta tem apresentado falhas e alguns usuários não conseguem concluir as etapas exigidas para a concessão do benefício.

Já um funcionário da Caixa Econômica Federal disse que o banco tem incentivado beneficiários que são clientes a usar a função de débito do cartão a fim de adiar a ida à agência para o saque em dinheiro e também o uso do aplicativo para outras transações. Ele também disse que a quantidade de clientes que entram no estabelecimento está sendo limitado ao número de caixas e que não há pessoal suficiente para controlar a fila do lado de fora da Agência.

A Prefeitura de Guanambi emitiu um decreto regulamento o funcionamento dos bancos

, correspondentes bancários e lotéricas. A regulamentação diz que  estes estabelecimentos só podem funcionar mediante organização de fila, devendo ser garantida a distância mínima de 1,5m (um metro e meio) entre os clientes em atendimento e entre aqueles que estejam aguardando na parte externa das agências por meio de sinalização horizontal disciplinadora e demais ferramentas que se mostrem úteis e necessárias.

Além disso, conforme o decreto, os grupos de risco deverão ser atendidos prioritariamente ou em apartado, devendo ficar o mínimo possível nas eventuais filas ou demais organizações estabelecidas pelas agências.

Uma leitora da Agência Sertão enviou fotos de uma fila bem organizada na cidade de Petrolina (PE). Apesar da pessoas ficarem expostas ao sol, o distanciamento é mantido pelas marcas no asfalto da via que teve o trânsito de veículos interrompido.

Cronograma de pagamento do Auxílio Emergencial

Pagamentos da primeira parcela de quem não estava no Cadastro Único será o seguinte:

  • 17 de abril, sexta-feira, a partir das 15h: Crédito para 3.438.238 pessoas com conta poupança na Caixa
  • 18 de abril, sábado: Crédito para 1.420.466 pessoas com contas em outros bancos
  • 20 de abril, segunda-feira: Crédito para 4.230.900 pessoas na Poupança Social Digital Caixa (aquela criada especialmente para este programa)

Os beneficiários desbancarizados ou que não forneceram dados bancários na inscrição terão acesso a uma conta social digital gratuita, onde será depositado o dinheiro. Eles devem ser os últimos a receber e, para sacar, precisam aguardar até o dia 27 de abril, quando começa o calendário de saques.

A liberação da retirada para quem tem a conta-poupança social será feita de forma escalonada, de acordo com a data do aniversário do beneficiário. Segundo a Caixa, a intenção é evitar filas e aglomerações. O cronograma terá a seguinte ordem:

  • 27 de abril – nascidos em janeiro e fevereiro, com poupança digital gratuita da Caixa
  • 28 de abril – nascidos em março e abril, com poupança digital gratuita da Caixa
  • 29 de abril – nascidos em maio e junho, com poupança digital gratuita da Caixa
  • 30 de abril – nascidos julho e agosto, com poupança digital gratuita da Caixa
  • 04 de maio – nascidos em setembro e outubro, com poupança digital gratuita da Caixa
  • 05 de maio – nascidos em novembro e dezembro, com poupança digital gratuita da Caixa

Os saques serão realizados em lotéricas e caixas automáticos e não requerem o uso de cartão físico. Será fornecido um código de acesso para os saques. Pelo aplicativo Caixa Tem, o beneficiário terá a opção “saque” assim que a retirada estiver liberada para ele. O usuário deve escolher a quantidade que deseja sacar. Em seguida, o aplicativo vai gerar um código que deve ser digitado no caixa eletrônico ou apresentado na lotérica.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui