O prefeito de Iuiu, Reinaldo Goes, divulgou uma nota de esclarecimento e um vídeo onde explica a polêmica registrada na noite desta quinta-feira (2), envolvendo policiais militares que realizavam uma blitz de trânsito na entrada da cidade.

O episódio foi registrado em um vídeo e divulgado nas redes sociais. Na gravação é possível ver e ouvir o prefeito reclamando com os policiais da ação que estaria apreendendo veículos irregulares ou com condutores sem habilitação.

“Vocês (policiais) estão fazendo um péssimo trabalho. Vocês deixam os bandidos aí, ó, rodando. Ficam dormindo… Preguiçosos!”. Em outro trecho ele diz: “Vocês estão prendendo trabalhador só porque está com o documento atrasado ou está sem habilitação; e os bandidos ai empinando moto na rua e assaltando. Eu já disse ao Capitão Prates que aqui em Iuiú nós não vamos aceitar isso!”, disse o prefeito.

Na nota e no vídeo de esclarecimento, Goes afirmou que foi até o local após moradores reclamarem da atuação dos policiais e disse que eles deveriam abordar pessoas suspeitas de cometerem crimes no município. Ele justificou que muitos munícipes usam suas motos e carros para exercer suas atividades laborais, sobretudo os moradores da zona rural, que muitas vezes não têm condições de estarem com a documentação regular.

O prefeito disse ainda que o Capitão Prates, comandantes da 3ª Cia de Polícia, responsável pelos municípios de Carinhanha, Malhada e Iuiu, não havia autorizado a ação.

Procurado pela Agência Sertão, o Ten. Cel. Arthur Mascarenhas, comandante do 17º Batalhão de Polícia Militar, disse que estava apurando a situação.

O prefeito afirmou que ficou nervoso com a situação e acabou se exaltando. Ele pediu desculpas e disse que não tinha intenção de ofender ou confrontar a Polícia Militar. “Peço desculpas pela forma que me expressei. Me expressei de forma muito exaltada”.

Após a divulgação do vídeo, o comandante de operações da Polícia Militar, coronel Humberto Sturaro, disse que a atitude do gestor não vai intimidar o trabalho da polícia e que “quem quer respeito se dá ao respeito”.

“Gostaria de dizer ao excelentíssimo prefeito que as nossas atitudes institucionais que não estiverem de acordo, a nossa porta está sempre aberta para discutir e ouvir. Porém, o comportamento traz um desrespeito muito grande não só a PM, mas ao estado da Bahia. O meu policial representa o estado. Quem quer respeito se dá ao respeito. A gente lamenta muito. A atitude que ele tomou não fará com que os soldados venham esmorecer. Serve como incentivo ao trabalho”, afirmou Sturaro.

A Associação de Praças da Polícia e Bombeiro Militar da Bahia (APPMBA) repudiou o ato e disse que o registro mostra o gestor incitando a “população contra os policiais”.

“O prefeito, com total desconhecimento sobre a atividade policial, tenta utilizar o serviço dos guerreiros como palanque eleitoral, desacatando os policiais militares que no momento estão cumprindo o seu dever legal, desmerecendo o trabalho realizado pela guarnição de coibir a violência e proteger os cidadãos. O prefeito com claro sinal de malevolência ainda incita a população contra os policiais”, diz a APPM, que acrescenta.

“Diante do exposto, acionaremos o nosso corpo jurídico para que as providencias cabíveis sejam tomadas mediante a situação ocorrida. A APPMBA não tolera comportamentos desrespeitosos e desumanos contra os militares estaduais, estes que estão nas ruas diariamente, arriscando as suas vidas, para garantir paz e segurança da sociedade. Iremos impedir que ações como estas aconteçam, os militares estaduais merecem respeito”, finaliza o comunicado.

Aspra (Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia), também prepara uma ação judicial e afirmou que o caminho correto não foi adotado pelo prefeito.

Veja a Nota

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui