Foto: Tiago Marques / Agência Sertão

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) emitiu nota de esclarecimento informando que usou água da barragem de Ceraíma para abastecer a cidade de Guanambi durante a realização do último serviço emergencial na adutora do algodão, nos dias 27 e 28 de junho, período em que o abastecimento pelas águas do rio São Francisco ficou completamente suspenso.

A empresa informou ainda que abastecimento de água foi normalizado no último dia 30 em Guanambi, Iuiu, Palmas de Monte Alto, Matina e Candiba, bem como dos Distritos de Mutans e Pajeú dos Ventos (Caetité), ambas atendidas pela Adutora do Algodão.

Segundo a Embasa, o Sistema Ceraíma garantiu continuidade do abastecimento em Guanambi. A capacidade de funcionamento foi ampliada para garantir a oferta de 50% da água tratada fornecida em Guanambi e manter o abastecimento parcial da cidade até a conclusão do serviço emergencial.

A Embasa disse ainda que a eficácia desta medida evitou o colapso no abastecimento durante a paralisação da Adutora do Algodão e constatou que o Sistema Integrado de Abastecimento de Água (SIAA) possui segurança hídrica para ultrapassar momentos emergenciais, ressaltando a importância do sistema Ceraíma para o abastecimento de Guanambi, que atualmente conta com a Adutora do Algodão (Rio São Francisco) como fonte principal.

Inaugurada em 2012, a Adutora do Algodão leva água para os município da região de Guanambi. A água é captada no rio São Francisco, no município de Malhada, onde passa por tratamento antes de ser distribuídas para os sistemas dos municípios e distritos beneficiados.

Além das águas do Velho Chico, o SIAA conta com reforço no abastecimento com a captação de água na barragem de Ceraíma, especialmente para abastecer as localidades da segunda etapa da adutora, como a sede do município de Caetité e dos distritos de Maniaçu, Lagoa de Dentro e Lagoa de Fora. Uma terceira etapa está sendo viabilizada para atender o município de Lagoa Real e Ibitira, distrito de Rio do Antônio.

Além de contribuir com o abastecimento humano, a barragem de Ceraíma fornece água para comunidades vizinhas e para o perímetro irrigado, reativado no ano passado. As águas da barragem irrigam os lotes de mais de 110 produtores de frutas, verduras e hortaliças do distrito.

A barragem atingiu seu nível máximo em abril deste ano após chuvas expressivas nas cabeceiras do rio Carnaíba de Dentro e seus afluentes. O feito havia sido registrado pela última vez em 1992. Com o início do período seco, o nível da barragem começou a baixar e atualmente está a pouco mais de meio metro do sangradouro.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui