Arquivo - IAT

O educador baiano Anísio Teixeira já pode ser considerado o patrono da Educação na Bahia. A Assembleia Legislativa (Alba) aprovou, nesta quinta-feira (16), o Projeto de Lei n° 23.931/2020, enviado pelo governador Rui Costa, que tornou Anísio Teixeira o patrono da educação do estado.

A iniciativa é parte das ações desencadeadas pelo Governo do Estado em reconhecimento ao legado de Anísio, que nasceu em 12 de julho de 1900, em Caetité, e é considerado um dos maiores educadores brasileiros de todos os tempos. Agora, acontecerá a sanção pelo governador Rui Costa e a publicação no Diário Oficial do Estado.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, falou sobre a aprovação. “Este é um presente para todos nós, baianos, que devemos reverenciar a memória e toda a obra de Anísio Teixeira. Ele foi um visionário, sempre esteve à frente do seu tempo, pensou na escola pública, na educação em tempo integral, no financiamento da Educação, na formação dos professores, em sistema de Nacional de Educação. Só temos que comemorar e agradecer à Alba por esta aprovação, celebrar a obra de Anísio e nos inspirar, cada vez mais, em seu exemplo”, afirmou.

A deputada Fabíola Mansur, que é a presidente da Comissão de Educação da Alba e foi a relatora do projeto de lei, falou sobre este momento, que considerou histórico. “Estou muito honrada como presidente da Comissão de Educação desta Casa por ter sido a relatora deste projeto histórico, justamente na semana em que estamos em comemoração pelos 120 anos do educador, filho de Caetité. Isso significa reconhecer e solidificar, ainda mais, o legado de Anísio para o sistema educacional da Bahia, na defesa pelo direito igualitário a uma educação de qualidade e universal”, afirmou.

O presidente da Alba, deputado Nelson Leal, também falou sobre o significado deste ato. “Tenho imenso orgulho e a grande honra de ter comandado esta votação de hoje da Alba, que concedeu, por unanimidade dos 63 deputados, a Anísio Teixeira, esse grande baiano de Caetité e inventor da escola pública no Brasil, o título de Patrono da Educação na Bahia, através de uma bela iniciativa do secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, e do governador Rui Costa”, afirmou.

Sobre o educador

Anísio Spínola Teixeira nasceu no dia 12 de julho de 1900, na cidade de Caetité (636 km de Salvador), e morreu no Rio de Janeiro, no dia 11 de março de 1971. Ele foi bacharel em Direito, gestor público, intelectual, educador e, no transcurso do tempo, se tornou personagem importante na história da educação no Brasil. Nas décadas de 1920 e 1930, ele difundiu as ideias do movimento denominado “Escola Nova”, cujo foco foi a renovação pedagógica da escola.

No período de 1924 a 1928, Anísio Teixeira conduziu, na Bahia, a gestão de governo para a Educação, empreendendo a tarefa de avaliar as condições materiais e pedagógicas das escolas baianas. Assinalou o modo como deveria acontecer a progressiva reestrutura do sistema de educação baiano, argumentando sobre a necessidade de uma educação diferenciada para os centros urbanos, para as pequenas comunidades rurais do Recôncavo Baiano ou do Sertão e para a população propriamente rural das fazendas e sítios.

Já no período entre 1947 e 1950, uma de suas iniciativas mais importantes como secretário de Educação e de Saúde foi a construção do Centro Popular de Educação Carneiro Ribeiro, popularmente conhecido como Escola Parque, localizada na Caixa D’água, em Salvador, fundada em 1950. A escola fez parte de um grandioso projeto que consolidou a Educação Integral na Pedagogia brasileira. Atualmente, além do ensino regular, a Escola Parque oferta oficinas de artes visuais e música e possui uma biblioteca de rico acervo.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui