Atendendo às exigências dos órgãos de controle, a prefeitura de Guanambi disponibiliza um portal com as informações referentes às ações de combate ao coronavírus no município.

O município vai receber R$ 7.641.585,22 do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus. A primeira parcela foi paga em 9 de junho e a segunda em 13 de julho. Os demais repasses estão previstos para os dias 12 de agosto e 11 de setembro. Apesar dos valores expressivos que estão sendo repassados, a pandemia afeta a economia dos municípios que sofrem com a queda de arrecadação devido à paralisação de algumas atividades econômicas.

Segundo os dados de transparência, desde março, quando se deu o início da pandemia, foram gastos R$ 1.814.066,64 em contratação de pessoal, aluguel de imóveis, compra de equipamentos, insumos entre outras despesas. As informações disponíveis foram inseridas até a última sexta-feira (17).

Mais da metade dos recursos foi repassada ao Instituto Brasileiro de Gestão Pública (IBGP). A instituição recebeu até o momento pouco mais de R$ 1 milhão para ações de treinamento, gestão e remuneração de servidores. Desde 2018, o IBGP presta este tipo de serviço para a prefeitura. Parte dos servidores que atuam no sistema municipal de saúde são contratados pelo instituto que presta o serviço para as unidades vinculadas à secretaria de Saúde.

Outra instituição que presta serviços que recebeu valores mais expressivos é o Núcleo de Formação de Bombeiros Civis, responsável pelo suporte aos profissionais de saúde nas barreiras sanitárias. Por dois meses de serviços prestados, a prefeitura repassou cerca de R$ 160 mil para o pagamento desses profissionais.

A prefeitura também investiu R$ 140.000,00 na compra de uma aparelho de Raio-X com impressora para realização de exames em pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19.

Cerca de R$ 500 mil restantes foram gastos em pagamentos de despesas diversas, como manutenção de respiradores, aquisição de medicamentos e equipamentos de proteção individual, instalação de sistemas de gases hospitalares, aquisição de móveis hospitalares, reparos e reformas, alimentação, abastecimento de veículos, entre outros, como o aluguel do prédio onde funciona o Pronto Atendimento, que custa R$ 10 mil por mês.

Novas licitações estão em andamento para aquisição de mais equipamentos como respiradores, monitores e bombas de infusão. Também está em licitação o aluguel de uma casa de apoio a pacientes e profissionais de saúde em Salvador.

Ações

Desde 24 de março o município implantou barreiras sanitárias nas entradas da cidade para monitorar a entrada de pessoas vindas de outras regiões. No local é feito um cadastro para acompanhamento pelo período de 14 dias por profissionais da Atenção Básica que monitoram o possível surgimento de sintomas relacionados à Covid-19. Quase 600 mil pessoas foram abordadas pelos agentes durante esse período.

Também foi montado um centro de acompanhamento, monitoramento e atendimento psicológico para pacientes e profissionais de saúde.

Além disso, foram realizados treinamento de profissionais da saúde e aquisição de equipamentos de proteção individual (EPI’s), além da contratação de quase 50 novos profissionais para atuação nas unidades de saúde dedicadas ao combate ao coronavírus.

Na segunda quinzena de maio começou a funcionar o Pronto Atendimento (PA) destinado a triagem e tratamento de pacientes com casos leve da Covid-19. A unidade conta com 4 leitos de isolamento e até 20 leitos clínicos. Uma ambulância foi disponibilizada com exclusividade para atendimento às demandas de pacientes que procuram o PA.

Em 23 de junho foi inaugurada a estrutura montada anexa ao Hospital Municipal. Segundo a prefeitura, no local há leitos com salas de estabilização equipadas com respiradores, bombas de infusão e monitores, para proceder a estabilização de pacientes diagnosticados com estágio grave da doença. Novos equipamentos estão sendo aguardados para completar a estrutura que também servirá para atender a pacientes de outras enfermidades após o fim da pandemia.

Segundo Manoel Paulo, secretário municipal de Saúde, a pasta e os profissionais estão empenhados para buscar soluções que minimizem o impacto da pandemia no município. Ele ressalta que são grandes os desafios no enfrentamento desta doença que afeta o mundo todo.

Coronavírus em Guanambi

De acordo com o último boletim epidemiológico da secretaria municipal de Saúde, Guanambi registra 137 casos de coronavírus. Deste total, 112 pacientes estão recuperados e outros 25 permanecem ativos com a doença. A maioria dos pacientes não precisaram de internação. No momento, não há mais pacientes do município hospitalizados.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui