Imagem Ilustrativa / Reprodução

A prefeitura de Vitória da Conquista anunciou a aquisição de mais 10 mil testes rápidos para detecção da Covid-19. Os testes são aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e começaram a ser aplicados nesta segunda-feira (20).

Segundo a prefeitura, a ampla testagem da população é uma das principais estratégias de controle da pandemia em Vitória da Conquista. A nota publicada no site oficial diz que o município testa mais do que o dobro da média nacional e afirma que a cidade possui a segunda menor taxa de prevalência do Novo Coronavírus em relação aos maiores municípios do Nordeste e também a menor taxa de mortalidade.

Para justificar o aumento da testagem, a prefeitura argumenta que ao identificar um caso positivo, ele entra em isolamento social e evita-se que mais pessoas sejam contaminadas. Desde o início da pandemia, 14.200 testes rápidos foram aplicados em moradores de Vitória da Conquista.

O novo lote também será aplicado de acordo com a Nota Técnica 54/2020, da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e o Plano de Testagem do Município. De acordo com as normas, os grupos prioritários para a testagem incluem pacientes com quadro clínico-epidemiológico compatível com Covid-19; profissionais de segurança pública e de saúde em atividade; contato domiciliar de profissional de saúde ou de segurança pública em atividade; e pessoas com 60 anos ou mais, residentes em instituições de longa permanência de idosos, ou portadores de comorbidades de risco para complicação de Covid-19.

“Em um momento de pandemia, como o que a gente vem enfrentando em nosso município, a Secretaria de Saúde vem criando estratégias para melhor atender ao cenário, e com isso são disponibilizados novos testes para diagnosticar pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19”, explica a secretária municipal de Saúde, Ramona Cerqueira.

Além dos testes rápidos, a Prefeitura segue com os exames laboratoriais RT-PCR para os pacientes que se enquadram nos critérios estabelecidos pela Nota Técnica COE Saúde Nº 54 de 8 de abril de 2020 (atualizada em 04 de junho de 2020).

Diferença entre testes da Covid-19

Considerado o “padrão ouro” ou “padrão de referência”, o RT-PCR é o exame que identifica o vírus e confirma a Covid-19. Para isso, o teste busca detectar o RNA do vírus através da amplificação do ácido nucleico pela reação em cadeia da polimerase. Esse teste deve ser realizado no início da doença, especialmente na primeira semana, quando o indivíduo possui grande quantidade do vírus Sars-CoV-2.

As amostras são coletadas através de swabs (cotonetes) de nasofaringe (nariz) e orofaringe (garganta). A abordagem do exame, no momento, é do profissional de saúde que está atendendo o paciente no hospital, ambulatório ou consultório. Isso porque é preciso saber a fase da doença para a coleta da amostra.

Enquanto o RT-PCR deve ser realizado no início da doença, os testes sorológicos (testes rápidos) são feitos a partir da segunda semana, quando a quantidade de vírus diminui progressivamente e o indivíduo produz anticorpos contra o vírus, principalmente das classes IgG e IgM.

Os anticorpos da classe IgM são mais precoces, e podem ser detectados a partir da 2ª semana de infecção. “Já os da classe IgG aparecem mais tardiamente, geralmente após 14 dias da infecção, e persistem por mais tempo”, diferencia. Os testes de sorologia tradicional para identificar os anticorpos são obtidos nas amostras de soro após punção venosa, realizada em laboratório. Também podem ser obtidos em testes rápidos (imunocromatográficos), realizados em sangue capilar obtido por punção digital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui