Destaque Guanambi
Foto / Reprodução: Victor Boa Sorte

A prefeitura de Guanambi suspendeu o funcionamento de empreendimentos de atividades econômicas considerados não essenciais, inclusive os sem fins lucrativos que promovem aglomerações de pessoas no município.

A determinação foi publicada no Diário Oficial do Município, desta sexta-feira (24) e passará a vigorar na próxima terça-feira (28). A previsão é que a medida dure até o dia 11 de agosto.

Com a decisão, nenhum estabelecimento poderá permitir o consumo de gêneros alimentícios, alcoólicos e congêneres em seu interior. Os lojistas e estabelecimentos de serviços de alimentação como lanchonetes e restaurantes, somente funcionarão mediante serviço de entrega.

Foram incluídos na suspensão os eventos esportivos, academias, boates, cinemas, espetáculos de qualquer natureza, shows, atividades de clubes de serviço, lazer e similares. Os cultos e demais manifestações religiosas deverão ocorrer por intermédio de transmissão digital, mediante a rede mundial de computadores, ou outro meio eletrônico que dispense qualquer liturgia presencial.

O decreto suspendeu também o funcionamento do Mercado Municipal de Guanambi e de todas as feiras livres já existentes, Parques Municipais, Parques itinerantes e academias ao ar livre e áreas de lazer das praças públicas.

Além disso, a determinação proibiu a aceitação de novos hóspedes pelos hotéis, motéis, pousadas e similares a partir do dia 28 de julho de 2020.

O decreto também prevê a suspensão das atividades escolares, bem como os cursos de capacitação na rede pública e privada, nos ensinos fundamental, médio e universitário que forem presenciais, até o dia 11 de agosto.

Os demais estabelecimentos considerados essenciais como – farmácias, drogarias e lojas de produtos médicos hospitalares, hipermercados, supermercados, mercados, mercearias, açougues, hortifrutigranjeiros e similares, deverão adotar medidas de prevenção ao coronavírus. Dentre elas – distanciamento social, disponibilização de álcool 70%, uso obrigatório de máscaras, dentre outros.

O prefeito de Guanambi, Jairo Magalhães, já havia comunicado que publicaria um decreto fechando o comércio não essencial. O anúncio foi feito no programa Comando Geral, realizado nesta sexta-feira (24), às 12h, na Rádio Alvorada de Guanambi.

Na entrevista, o prefeito pontuou que o anúncio está sendo feito com antecedência para que todos os comerciantes tenham uma preparação prévia. Segundo ele, as decisões anteriores foram tomadas com urgência e geraram prejuízos aos empreendedores local.

Magalhães destacou ainda que os casos estão aumentando e o comitê de enfrentamento a pandemia da Covid-19 percebeu que por mais alertas e campanhas que a prefeitura esteja disponibilizando, a falta de cooperação da população está sendo preponderante para essa tomada de decisão.

“Nós não gostaríamos de tomar essa decisão, mas está sendo necessária, cientificamente. Nós reunimos o comitê de enfrentamento e vamos ter uma reunião com o Ministério Público, para demonstrar que estamos preocupados com a situação”, explica Magalhães.

Para a tomada de decisão, o gestor exemplificou o crescimento dos casos em Barreiras e Vitória da Conquista, onde morreram 15 pessoas somente esta semana.

O Comércio considerado não essencial foi fechado por duas vezes na cidade. O primeiro fechamento durou de 28 de março até 6 de abril, quando o município ainda não registrava casos. Já o segundo fechamento durou de 18 de maio até 2 de junho, exceto o setor de alimentação que foi autorizado a funcionar no dia 26 do mesmo mês.

O Conselho Municipal de Saúde (CMS) de Guanambi já havia emitido um parecer técnico no dia 9 de julho, pedindo revisão da abertura do comércio não essencial em Guanambi.

O CMS avaliou à época que após a flexibilização do funcionamento de serviços não essenciais, por meio do decreto 786 de 26 de junho de 2020, as notificações de casos suspeitos e de casos positivos tiveram um avanço considerável no município, sobretudo após o funcionamento de bares, restaurantes, igrejas, academias, hotéis e motéis.

Antes disso, no dia 7 de julho, o Comitê de Enfrentamento à pandemia do Novo Coronavírus avaliou que o quadro epidemiológico do avanço da Covid-19 seria observado em estado de alerta, de modo que se não houvesse uma cessação no aumento de casos, medidas mais restritivas seriam novamente adotadas pelo Poder Público.

Atualmente o município contabiliza um total de 159 casos da doença, 117 pessoas consideradas recuperadas e 42 casos ativos. Os últimos registros da Covid-19 foram confirmados no início da noite desta quinta-feira (23). Três novos casos foram confirmados, dois por meio da realização de exame laboratorial (RT-PCR) e um por aplicação de teste rápido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui