Moradores de municípios do Vale do Jiquiriçá e do Recôncavo Baiano acordaram assustados na manha deste domingo (30). Dois terremotos foram registrados em Amargosa na Bahia, entre as 7h44 e 8h18.

Os eventos sísmicos foram registrados por estações internacionais e por todas as estações da rede sismográfica do Brasil, entidade integrada pelo Serviço Geológico Brasileiro e por universidades e centros de pesquisa de todas as regiões do país.

Moradores relataram que o primeiro tremor foi o mais forte, durando cerca de 20 segundos, já o segundo foi um pouco mais brando e terminou mais rápido. As estações registram magnitude de 4.2 mR no primeiro abalo, sentido no município de Amargosa, enquanto o segundo abalo, teve magnitude de 3.7mR e teve seu epicentro no município de São Miguel das Matas.

Em São Miguel das Matas o tremor também foi intenso segundo o Correio. O morador Jadson Penine conta que o chão chegou a tremer pelo menos três vezes. “A primeira foi 7h40, foi muito forte, balançou a casa. E agora, umas 8h15, tremeu de novo, forte. E 8h30 deu um fraquinho. Caíram produtos das prateleiras do mercado. Balançou tudo”.

Eventos dessa magnitude ocorrem com bastante frequência em todo o mundo, cerca de 6 mil por ano. No entanto, no Brasil eles são frequentes apenas na região norte e em latitudes mais a Oeste do País.

A força do primeiro terremoto foi sentida em toda a região, inclusive em Salvador, distante cerca de 100 quilômetros de amargosa.

Moradores relataram o susto nas redes sociais e até o momento não há relato de feridos. Segundo cálculos do Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a magnitude do terremoto pode ter sido de 4,6.

Segundo a escala de magnitude local, o primeiro tremor pode ser classificado como ligeiro. Estes terremotos são bastante perceptíveis mas raramente causam danos. Já o segundo é classificado como pequeno, sentido com mais frequência.

Em 29 de julho, um abalo de 3,9 mR foi sentido em Ilhéus, no Sul-Baiano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui