16.7 C
Guanambi
11.4 C
Vitória da Conquista

Sobradinho vai manter vazão de 4.000 m³/s no rio São Francisco até 1º de fevereiro

spot_img
- Advertisement -

Últimas Notícias

Tiago Marqueshttps://agenciasertao.com/
Tiago Marques é redator e editor do site Agência Sertão. Trabalha com produção de conteúdo noticioso para rádio e internet desde 2015.
- Advertisement -

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) anunciou que vai manter a vazão de 4.000 metros cúbicos por segundo (m³/s) a partir do Reservatório de Sobradinho, na Bahia, o Rio São Francisco.

De acordo com anúncio feito nesta segunda-feira (24), o volume de saída de água da barragem será mantido pelo menos até 1º de fevereiro, quando haverá outra avaliação e divulgação das vazões que serão praticadas.

A operação especial de controle de cheia do rio desde o dia 12 de janeiro, com aumento programado e gradativo da vazão. Desde então, a estatal vem mantendo diálogo com prefeituras, defesas civis, associações, Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco e outras entidades, para atuação desses órgão quanto a ações de prevenção e orientação dos usuários.

A Chesf ressaltou que a operação é necessária mediante condição de cheia declarada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), em articulação com a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), provocada pelas fortes chuvas ocorridas em Minas Gerais.

“Estamos permanentemente avaliando a situação hidrológica e qualquer alteração de vazão será informada com antecedência, como temos feito. Os reservatórios que temos ao longo do São Francisco permitem um controle do nível do rio, acumulando água. Entretanto, o período úmido do rio se estende até abril”, explicou o diretor João Henrique Franklin.

“Neste momento, não há sinalização de que haverá nova elevação da vazão além dos 4.000 m³/s”, acrescentou o diretor.

A Chesf emitiu alertas para que as autoridades competentes pudessem tomar medidas preventivas para casos de possíveis inundações e, também, para orientação de todos os usuários.

Na carta enviada às prefeituras e usuários cadastrados, a Companhia não afasta a hipótese de ter de praticar vazão maior que 4.000 m³/s no decorrer do presente período úmido, a depender da evolução das chuvas na Bacia do São Francisco.

O reservatório está com quase 67% de seu volume útil e com afluência superior a 5.000 m³/s, com tendência de elevação por mais alguns dias.

Petrolina e Juazeiro

Desde o dia 12, quando foi iniciada o processo de controle da cheia, o nível do rio subiu quase três metros e mudou a paisagem em Juazeiro, Petrolina e nas demais cidades no Submédio e do Baixo São Francisco.

De acordo com dados da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e do Serviço Geológico do Brasil (CRPM), o nível saiu da cota 1,16 m no dia 11 para a cota 4,14 m nesta segunda, com o último incremento de defluência em Sobradinho. Nesta segunda-feira, o rio encobriu parte do parque Fluvial da Orla de Juazeiro.

A cheia também afetou a rotina turística das duas cidades, pois muitos dos pontos de visitação são ilhas que estão praticamente submersas com a cheia.

Minas Gerais

Em Minas Gerais, na região Norte do Estado, a cheia do rio São Francisco ainda passa por algumas cidades mais próximas à divisa com a Bahia. Com a diminuição das enchentes nos afluentes, o nível está em queda. Em São Francisco, onde o pico foi atingido na última sexta-feira, a água já recuou cerca de 40 centímetros.

A Usina Hidroelétrica de Três Marias continua com as comportas abertas, vertendo pouco mais de 3.000 m³/s. Com pouco mais de 92,4% da capacidade, o reservatório já opera com afluência menor do que a defluência, aumentando o espaço para receber as águas das próximas chuvas na bacia hidrográfica.

Nos municípios da Bahia, como Malhada, Carinhanha, Bom Jesus da Lapa, Ibotirama e Morpará, o nível segue em elevação pelo menos até o meio da semana.

 

- Advertisement -
- Advertisement -

Relacionadas

Deixe uma resposta

- Advertisement -

Mais Lidas

- Advertisement -