20 C
Guanambi
17.9 C
Vitória da Conquista

Segunda etapa da Campanha de Vacinação contra a Aftosa na Bahia vai até 30 de novembro

Mais Lidas

https://materiais.henet.com.br/guanambi

De 01 a 30 de novembro, a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) realizará a 2ª etapa da Campanha de Vacinação contra a Aftosa no estado. O objetivo é vacinas 12.407.167 cabeças em todo a Bahia.

A meta é imunizar 100% do rebanho ou alcançar índice superior aos 94,70% da última campanha. As explorações pecuárias ocorrem em aproximadamente 300 mil propriedades que precisam estar georreferenciadas no sistema de defesa da Adab.

Além de vacinar, os criadores de bovinos e bubalinos, também, realizarão a declaração e a geolocalização do rebanho.

“A Bahia está livre da doença há 25 anos, possui o status de Zona Livre de Aftosa Com Vacinação e busca a mudança desse patamar, seguindo todas as exigências sanitárias dos órgãos competentes para que, em breve, não haja mais necessidade de vacinação. E a cadeia produtiva tem se mantido unida neste intuito de manter o rebanho livre da aftosa”, avalia o diretor geral da Adab, Lázaro Pinha.

Depois da vacinação dos animais, o produtor tem até 15 dias para se dirigir ao escritório da Agência mais próximo de sua propriedade para declarar o ato. Ele deve levar a relação de bovinos e bubalinos nascidos, mortos e vacinados, discriminados por quantidade, sexo e idade, juntamente com a nota ou cupom fiscal de compra da vacina.

Se preferir, o produtor pode acessar o site www.adab.ba.gov.br para declarar a vacinação do seu rebanho e proceder com a geolocalização de sua propriedade. “Para reforçar a defesa agropecuária na Bahia, a Adab vem intensificando os procedimentos para a geolocalização das fazendas, por isso, é importante o criador levar junto consigo a marcação da coordenada geográfica de sua propriedade no momento da declaração da vacinação”, destaca o diretor de Defesa Sanitária Animal da Adab, Carlos Augusto Spínola.

Em abril deste ano o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) inverteu o calendário vacinal do rebanho baiano “com objetivo de equacionar a demanda de vacinas contra febre aftosa com o cronograma previsto de produção da indústria e, assim, garantir a oferta de vacinas para manter os índices satisfatórios e manter a imunidade do rebanho brasileiro”, informa o diretor do Departamento de Sanidade Animal do Mapa, Geraldo Moraes.

Um dos principais requisitos para a suspensão da vacinação do rebanho contra a febre aftosa é a geolocalização das propriedades. Para os organismos internacionais esse é um quesito de importância, uma vez que, diante de alguma situação emergencial, a Adab precisa ter o domínio do foco, identificando a propriedade por meio de sua marcação geográfica.

Atualmente o estado da Bahia tem 64,7% de propriedades georeferenciadas, mas o Mapa exige um percentual mínimo e 70% em 2022 e 100% em 2023 para solicitar a retirada da vacina junto aos órgãos internacionais de sanidade animal, entre outros fatores.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas Notícias