23.2 C
Guanambi
21.6 C
Vitória da Conquista

Índice de infestação do Aedes aegypti aumenta em Vitória da Conquista após chuvas

Entre os 78 bairros e loteamentos visitados no perímetro urbano, 13 apresentaram índice de infestação de alto risco, acima de 3,9%

Mais Lidas

https://materiais.henet.com.br/guanambi

O Centro de Controle de Endemias (CCE) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou o resultado do terceiro e último Levantamento do Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2022, que teve o índice geral de 2,2%, demonstrando aumento de um ponto percentual em comparação com o segundo levantamento, feito no mês de agosto, quando o LIRAa estava em 1,2%.

Esse índice é classificado como um risco de alerta, entre 1% e 3,9%, segundo o Ministério da Saúde. De acordo com a coordenadora do CCE, Gabriela Andrade, esse aumento se deve, principalmente, às chuvas das últimas semanas. “O levantamento foi feito exatamente no meio desse período chuvoso, então, a consequência esperada é esse aumento de criadouros que apresentam larvas positivas para arboviroses”, explicou Gabriela.

Entre os 78 bairros e loteamentos visitados no perímetro urbano, 13 apresentaram índice de infestação de alto risco, acima de 3,9%. Os maiores foram registrados no Henriqueta Prates (13,0%), Conveima II (11,0%), Ipanema (10,7%), Cruzeiro (9,2%), Santa Cruz (9,2%), Urbis II (8,3%) e Orfanato (7,6%).

Para fazer esse levantamento, os agentes inspecionaram 6.417 residências e pontos estratégicos do município e em 146 desses locais foram encontradas larvas positivas, o que representa o índice geral de infestação obtido.

Outro fator importante que colabora para esse aumento é a falta de intensificação dos cuidados da população nesse período de chuva, o que acaba favorecendo as condições para que surjam criadouros em locais e objetos que acumulam água. “Se aumenta o índice de infestação é porque nas residências também aumentam os números de criadouros. A população precisa estar atenta”, reforçou a coordenadora.

A partir do resultado obtido no LIRAa, as equipes de combate às endemias irão reforçar o trabalho de bloqueio nos bairros com maiores índices de infestação, principalmente com ações educativas e mutirões de limpeza junto à população. Esse trabalho preventivo também já vinha sendo feito pelos agentes em alguns bairros, antes do levantamento, e ainda é esperado um resultado positivo das ações.

Dados da ocorrências de casos das arborviroses

Do mês de janeiro até o mês de novembro, o CCE registrou no município 2.787 notificações suspeitas de arboviroses, sendo que 535 casos foram confirmados laboratorialmente, dos quais: 261 para dengue, 263 para chikungunya e 11 para zika.

Outras 1.484 ocorrências foram descartadas laboratorialmente para essas doenças, 427 tiveram resultados inconclusivos e 341 pessoas aguardam o resultado laboratorial.

Prevenção

Nesse momento, é imprescindível que cada morador colabore com o trabalho de prevenção em casa, pelo menos uma vez por semana, verificando a vedação adequada das caixas d’águas e piscinas, água parada em pequenos recipientes, ralos, calhas, vasos de plantas e até a bandeja externa da geladeira. O descarte do lixo também deve ser feito em horário e locais apropriados.

Caso necessite fazer denúncias de possíveis focos do mosquito ou solicitar a visita dos agentes de endemias, entre em contato com o Centro de Controle de Endemias pelo (77) 3429-7421.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas Notícias