28.7 C
Guanambi
22.4 C
Vitória da Conquista

Inema autoriza construção de nova barragem na bacia do Paramirim

Mais Lidas

O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) concedeu a licença ambiental para a construção da Barragem do Rio da Caixa, localizada à jusante da Barragem de Zabumbão, em Rio dos Pires.

A construção da barragem prevê um volume de acumulação previsto de 30 milhões de metros cúbicos (hm³), para atender os municípios de Rio do Pires, Boquira, Botuporã, Caturama, Érico Cardoso, Ibipitanga, Macaúbas e Paramirim, além do município de Tanque Novo.

A informação sobre a liberação do Inema para a obra foi compartilhada pela Prefeitura de Paramirim em seus redes sociais. De acordo com a gestão do município, projeto prevê ainda que as Barragens do Zabumbão e do Rio da Caixa sejam interligadas, dessa forma, se no futuro, a cidade enfrentar problemas de falta d’água, a nova barragem servirá para abastecer a população.

Segunda a Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento da Bahia (SIHS), a obra é importante para garantir a segurança hídrica do Vale do Paramirim e a expectativa é que o empreendimento beneficie mais 55 mil habitantes.

O valor estimado para a construção da barragem é R$ 113.746.913,48.

Escassez de água da região 

Atualmente, a região só conta com o fornecimento de água da Barragem de Zabumbão, localizada no município de Paramirim e possui 60,9 hm³ de volume, com capacidade de captação de 80,5 litros por segundo. Ela atende a cerca de 56 mil pessoas.

Em outubro de 2021, a população protestou contra a obra de ampliação da oferta de água da barragem de Zabumbão para outros cinco municípios da região – Macaúbas, Ibipitanga, Ibitiara, Oliveira dos Brejinhos e Boquira. Na época, o então governador Rui Costa, prometeu a construção da Barragem do Rio da Caixa.

De acordo com informações da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), o controle da vasão da barragem Zabumbão é gerido pelo comitê da Bacia do Rio Paramirim em parceria com a Agência Nacional de Águas (ANA). Já o uso da água para consumo humano é gerido pela Embasa.

A Codevasf está em fase de negociações com o governo do estado para administrar as atividades de operação, manutenção e gestão da barragem.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas