20.9 C
Guanambi
16.6 C
Vitória da Conquista

Estudantes de Candiba desenvolvem creme dental orgânico a base de vegetais da Caatinga

Mais Lidas

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que apenas 15% da população cuida da higiene oral com regularidade. A falta desses cuidados pode ocasionar graves problemas relacionados à saúde bucal.

Pesando nisso, estudantes de Candiba desenvolveram um creme dental orgânico, a base de vegetais da Caatinga, a partir do extrato da casca do juazeiro e das folhas de hortelã, que pode auxiliar na saúde bucal da população.

Visando um produto sustentável, de baixo custo e que cuidasse da saúde bucal dos moradores candibenses, os estudantes do Colégio Estadual Antônio Batista, Késia dos Santos, Marina Alves e Osvaldino de Souza, desenvolveram durante a mostra de iniciação científica estudantil um creme dental orgânico ao explorar componentes da Caatinga.

A escolha do extrato do juazeiro e da hortelã, de acordo com a estudante Késia dos Santos, é um meio de preservar práticas tradicionais a partir de conhecimentos ancestrais.

“Após escutar relatos positivos de pessoas idosas sobre o uso do juazeiro e da hortelã, tivemos certeza sobre a importância de elaborar uma alternativa sustentável para as pessoas que não têm condições financeiras de manter a saúde bucal através de meios convencionais”, diz.

Foto: Reprodução/ SEC-BA

Por ser desenvolvido com menos química, o produto é uma opção sustentável. Késia explica que os principais ingredientes naturais, além de colaborarem com o meio ambiente, apresentam propriedades em comum que auxiliam na saúde.

“O juá tem características antissépticas, antimicrobianas, anti-inflamatórias, além de ser um clareador natural. Já a hortelã tem propriedades antibacterianas, anti-inflamatórias e é um ótimo antifúngico. Ao produzir o creme dental, foi necessário extrair os componentes principais do juazeiro e da hortelã”, afirma.

Os jovens, que contam com apoio do orientador William Oliveira, acreditam que o produto atenderá às necessidades locais, por isso continuam empenhados na pesquisa e na distribuição do creme dental em maior escala, auxiliando a população que consome produtos naturais na região.

“O cuidado da higiene bucal é fundamental para o bem-estar. Pensando nisso, avaliamos o projeto como um modo acessível de colaborar com a comunidade e valorizar o bioma da região”, conclui. O projeto é desenvolvido no Programa Ciência na Escola, da Secretaria da Educação (SEC).

Bahia Faz Ciência

A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) estreou no Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador Científico, 8 de julho de 2019, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ciência, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros.

As matérias são divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estão disponíveis no site e redes sociais da Secretaria.

Se você conhece algum assunto que poderia virar pauta deste projeto, as recomendações podem ser feitas através do e-mail ascom@secti.ba.gov.br.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas