25.3 C
Guanambi
19.9 C
Vitória da Conquista

Uesb recebeu emas doadas para atividades de ensino e pesquisa

Mais Lidas

A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), Campus Itapetinga, informou nesta segunda-feira (17) que recebeu a doação de 19 emas para atividades de ensino e pesquisa da instituição.

De acordo com a Universidade, as doações foram realizadas pela Fazenda Trijunção, localizada no oeste baiano. A aquisição dos animais foi feita vinculada a Secretária de Meio Ambiente de Itapetinga.

A ema é considerada uma das maiores aves ratitas do Brasil. Em sua fase adulta pode atingir até 1,70 metros de altura. Além disso, é bastante resiliente. Assim como o avestruz, animal conhecido por comer de tudo, inclusive, pedras, as emas também possuem essa característica peculiar.

A sua dieta incluí a ingestão de pequenos mamíferos, roedores, até mesmo rãs e escorpiões. Esse comportamento alimentar contribui de forma significativa para a renovação de ecossistemas.

Três casais da espécie estão em exposição no Parque Municipal do Zoológico da Matinha. O objetivo é que a Universidade trabalhe em conjunto com o zoológico na perspectiva da reprodução das emas.

Já os animais que ficaram na Universidade serão usados nas atividades de ensino e pesquisa.

“Aqui na Uesb temos a ideia de atender os diversos cursos de graduação que temos aqui. A nossa proposta também abrange a pesquisa comportamental, de reprodução e principalmente aspectos relacionados à nutrição”, explica o professor Dimas de Oliveira, coordenador do setor de animais silvestres.

Ainda conforme o professor Dimas, apesar das emas serem avistadas nas regiões de cerrados do território nacional e o seu status de conservação ser considerado estável, o avanço da agricultara tem contribuído para o desaparecimento desse animal em algumas localidades.

Nesse sentido, a proposta é que futuramente seja possível atender possíveis projetos de refauna e, assim, contribuir para a recomposição de biomas onde as emas desapareceram e que guardam importância ecológica.

“Eu vejo ainda como possibilidade, o uso desses animais para atenderem programas sociais de combate à pobreza e à fome. Eu acredito que um animal que produz ovos de aproximadamente 600 gramas, pode vir a atender. Além da carne, que também pode ser usada para a alimentação”, conclui, professor Dimas.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas