Reprodução
Anúncio

Morreu na manhã desta quarta-feira (3), Gilmar Silva, de 31 anos, atingido na cabeça por um disparo realizado pelo guarda Luciano Vargas Alckmin, de 41 anos, no dia 23 de dezembro, na Rua da Pista, no bairro São Francisco, em Carinhanha. Gilmar estava internado em estado grave há 12 dias, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital Regional, em Guanambi.

Reprodução/ Gilmar Silva

Conforme informações de populares, Luciano realizava uma ronda no bairro, quando abordou Gilmar e realizou o disparo. Em depoimento ao delegado Romilson Dourado, na última terça-feira (2), Luciano disse que não é o dono de arma e afirmou que o disparo foi acidental. Luciano ainda afirmou que durante uma ronda eles foram abordados por Gilmar, que portava uma arma. “Gilmar começou empurrar e naquele momento houve um disparo acidental”, disse Luciano.

Como não existe um mandado de prisão contra Luciano, ele foi ouvido e liberado. Caso o delegado encontre mais elementos durante os outros depoimentos, ele pode pedi sua prisão.  Segundo informações da Folha do Vale.

Anúncio

Deixe uma resposta