Reprodução
Anúncio

Da Redação da Agência Sertão*

A falta de um Hospital Municipal que funcione efetivamente em Guanambi vem causando problemas para outros municípios que dependem do Hospital Regional de Guanambi (HRG). Esse fato fez com que a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) tomasse providências para garantir as vagas de regulação no HRG.

Em entrevista concedida à Rádio Cultura FM nesta quarta-feira (4), o secretário de Saúde de Guanambi, André Moitinho, disse que a mudança vai prejudicar centenas de pessoas no município de Guanambi. Ele explicou aos ouvintes que pacientes classificados pelas categorias: amarela e vermelha (consideradas risco intermediário e alto risco), não poderão ser mais encaminhadas diretamente para o Hospital Regional de Guanambi (HRG), como era feito anteriormente.

Segundo Moitinho, os pacientes precisam passar pela Central de Regulação, em Vitória da Conquista, assim como os demais municípios fazem. Para o secretário, essa decisão por parte da Sesab é preocupante, porque Guanambi deve ter atendimento diferenciado dos demais municípios. “O Hospital Regional só recebe a partir de agora pacientes de emergência via Serviço de Atendimento Móvel a Urgência (Samu). absurdo essa situação.Vamos fazer uma mobilização para rever essa decisão”, disse Moitinho.

Em resposta ao portal Folha do Vale, a Sesab respondeu que a regulação trata-se de um sistema que monitora a disponibilidade de vagas em atendimento especializado e de leitos, tornando mais ágil a marcação de consultas e exames e, ainda, a transferência de pacientes em estado grave de saúde e que precisam de cuidados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ou de procedimentos complexos, como cirurgias cardíacas e neurológicas. A Sesab que essa regulação é uma importante ferramenta de gestão em Saúde Pública, que garante não só o cumprimento das leis de atenção aos cidadãos, como também controla a qualidade dos serviços, impedindo fraudes e estabelecendo padrões mínimos de atendimento.

Para alguns secretários de saúde de outros municípios ouvidos pela reportagem do Folha do Vale, essa decisão por parte da Sesab, visa corrigir um erro histórico. “O Regional foi construído em Guanambi, mas não é de Guanambi” disse um secretário que pediu para não ser identificado.

Graça Cotrim, Diretora do Hospital Regional, afirmou que o maior problema do Regional hoje é a falta de leitos e o grande número de pessoas que são atendidos de mais de 40 municípios da região.

Em Guanambi a prefeitura alugou o espaço do antigo Hospital São Lucas, no entanto o local não funciona efetivamente como Hospital, pois não abrange internações e outros serviços. No local são realizadas diversas cirurgias eletivas, a prefeitura paga cerca de R$ 45 mil mensais pelo aluguel do espaço. Em 2015 a prefeitura anunciou que iria construir um Hospital Municipal.

*Com Informações do Portal Folha do Vale

Anúncio

Deixe uma resposta