27.9 C
Guanambi
23 C
Vitória da Conquista

Ministério Público da Bahia lança aplicativo para mapear casos de racismo

9,145FãsCurtir
15,413SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
823InscritosInscrever
Tiago Marqueshttps://agenciasertao.com/
Tiago Marques é redator e editor do site Agência Sertão. Trabalha com produção de conteúdo noticioso para rádio e internet desde 2015.

Últimas Notícias

Mais Lidas

Um aplicativo de celular para denunciar casos de racismo na Bahia será lançado na próxima segunda-feira (19/11), pelo Ministério Público estadual (MP-BA). Assim, situações sofridas ou testemunhadas em todo o estado poderão ser denunciadas ao órgão com mais agilidade e segurança.

Chamada de “Mapa do Racismo”, a ferramenta trará informações que vão ajudar as pessoas a identificar casos de racismo e possibilitará o registro de denúncias anônimas de discriminação racial, intolerância religiosa, injúria racial e racismo institucional. Será possível enviar fotos, áudios, textos, vídeos e digitalizar documentos.

O lançamento do aplicativo será às 9h do dia 19, véspera do Dia da Consciência Negra, na sede do MP-BA no CAB, em Salvador. Na ocasião também será lançada a campanha publicitária “Racismo não se discute, se combate”.

ATUAÇÃO ESTRATÉGICA

- Advertisement -

O ‘Mapa do Racismo’ possibilitará o georreferenciamento dos casos de racismo e disponibilizará ao público os dados estatísticos dos registros por município. “A gente vai poder, a partir desses dados georreferenciados, orientar a atuação ministerial. Se for constatado que em determinada comarca, ou região, há maior incidência, por exemplo, de intolerância religiosa, poderemos focar em um trabalho preventivo do MP nessa cidade”, afirmou a promotora de Justiça Lívia Vaz, coordenadora do Grupo de Atuação Especial de Proteção dos Direitos Humanos e Combate à Discriminação (Gedhdis). Ela destacou também que o usuário do aplicativo poderá ter acesso fácil a notícias e outros materiais informativos e educacionais sobre racismo.

A iniciativa é do Gedhdis e do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos (Caodh), coordenado pela promotora de Justiça Márcia Teixeira.

Via Aratu Online

Destaques Ministério Público da Bahia lança aplicativo para mapear casos de racismo

Deixe uma resposta

Relacionadas