Joana Martins/ Agência Sertão

Alimento presente no prato de muitos baianos, o tomate está mais caro e chega a assustar quem costuma comprá-lo em Guanambi. Só no último mês, o produto teve um aumento de R$ 3,10 no quilo, ou seja, um acréscimo maior que 100%. Até o mês passado, o quilo era vendido entre R$ 2,90 a R$ 3,50, atualmente o tomate é encontrado por R$ 6,00, mas o preço pode chegar até R$ 7,50 em alguns estabelecimentos comercias.

Segundo a proprietária de um restaurante na cidade, tem sido necessário procurar outras alternativas para substituir o produto no cardápio. “Os tomates, além de mais caros, estão com péssima qualidade. Então, quem é comerciante precisa improvisar com outras saladas e coloca-ló em menos quantidade, pois o produto representa um valor a menos no nosso lucro, infelizmente não é tudo que repassamos para os clientes”, relata dona Cecília Alves.

O preço elevado do tomate não afeta apenas os comerciantes e os consumidores de  Guanambi, a alta afeta consumidores em todo o país. Segundo o site Correio, a informação do aumento  foi confirmado pelo Índice Nacional de Preços do Consumidor Amplo (IPCA) e pelo  Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). O IBGE ainda acrescenta que “o tomate foi o produto que mais aumentou em março e o que mais puxou a inflação do mês na região”. Ressaltou ainda, que o valor do fruto “aumentou muito no país como um todo, não só na Bahia, o que indica dificuldades com a safra do produto de uma forma geral”.

ColaboreSe você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante. Saiba como! .

Além do tomate, outros alimentos tiveram fortes altas neste ano, entre eles estão a batata e feijão. Em fevereiro, o feijão teve um aumento de mais de 150%. O quilo era encontrado na cidade por até R$ 3, mas chegou a ser vendido por mais de R$7,50.  Com estes aumentos, consequentemente a cesta básica do guanambiense ficou mais cara.

Deixe uma resposta