Reprodução

O ex-presidente Michel Temer virou réu na ação que investiga o Decreto dos Portos. A Justiça Federal em Brasília aceitou a denúncia apresentada em dezembro do ano passado contra Temer e mais cinco investigados pelos crimes de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro.

O inquérito investiga suposto favorecimento da empresa Rodrimar na edição do chamado Decreto dos Portos, assinado em maio de 2017, por Michel Temer. Os procuradores argumentam que Temer recebeu vantagem indevida em troca da edição da norma.

Com mais esta denúncia aceita pela Justiça, o ex-presidente já é réu em seis processos diferentes.

Também foram denunciados e se tornaram réus dois empresários ligados a Rodrimar, o ex-deputado federal e ex-assessor de Temer, Rodrigo Rocha Loures, flagrado correndo com uma mala de dinheiro, e o ex-coronel da Polícia Militar e amigo de Temer, João Batista Lima.

O caso começou no Supremo Tribunal Federal (STF), mas foi enviado à Primeira Instância após Temer deixar o cargo e perder foro privilegiado na Corte.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Após a apresentação da denúncia, a defesa do ex-presidente informou que Temer provará sua inocência.

A Rodrimar informou que os denunciados ligados à empresa estão afastados e que a companhia pauta sua gestão com base nos padrões de governança corporativa.

*Por Lucas Pordeus León da EBC

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui