Dinheiro encontrado durante operação contra o tráfico internacional de drogas - Foto: Polícia Federal

Desde a última terça-feira (27) a Polícia Federal realiza operações para prender integrantes de uma quadrilha que usa portos brasileiros para o tráfico internacional de drogas em navios cargueiros.

Foram expedidos 42 mandados de busca e apreensão e 17 de prisão temporária na operação “Alba Vírus”. Foram apreendidos US$ 7,2 milhões e R$ 1,6 milhão em espécie junto aos suspeitos. Até esta quinta-feira (29), 12 pessoas foram presas e outros 5 estavam foragidos.

André Luís Gonçalves é um dos presos por suspeita de ser o controlador financeiro e logístico da quadrilha

Um dos presos é o guanambiense André Luís Gonçalves, suspeito de ser o responsável pela parte logística e financeira do grupo.

Segundo informações colhidas pela Agência Sertão, André era um homem de vida simples em seu passado como mototaxista na cidade. A realidade do suspeito mudou depois que ele foi para São Paulo.

Recentemente, André comprou uma casa em um condomínio de alto padrão na cidade, onde morou por alguns meses com a família. O imóvel teria custado algo em torno de R$ 800 mil.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Antes de ir embora novamente de Guanambi e ser preso pela Polícia Federal, André fez uma festa luxuosa para comemorar o aniversário de um ano de seu filho em sua residência. Um convidado relatou à reportagem que é raro acontecer uma festa requintada como aquela na cidade.

Só de fogos de artifício, o suspeito gastou mais de R$ 15 mil na festividade. Sobre sua atividade profissional, ele disse aos convidados que trabalhava com políticos em São Paulo. A passagem de André e sua família pelo condomínio na cidade teria sido marcada por polêmicas com vizinhos.

Segundo as investigações, as organizações criminosas inseriam cocaína em contêineres embarcados nos portos Itajaí (SC), Santos (SP) e Paranaguá (PR), utilizando empresas de fachada com atuação na logística portuária. Em geral, a droga era escondida sem que os verdadeiros donos das cargas soubessem e eram enviadas para diferentes partes do mundo.

A 5º Vara Federal de Santos também determinou o bloqueio de mais de R$ 23 milhões em imóveis como casas, apartamentos e uma fazenda.

Os mandados foram cumpridos nos estados de São Paulo (São Paulo, Santos e Guarujá), Santa Catarina (Itajaí e Balneário Camboriú), Mato Grosso do Sul (Campo Grande) e Bahia (Salvador).

A investigação da Polícia Federal apura o envio de seis toneladas de cocaína para o exterior. Alguns dos presos e foragidos aparecem em um vídeo, em um galpão frigorífico, durante a ocultação de droga em carga de fígado de frango congelado. A gravação foi encontrada em um celular apreendido durante uma operação realizada em fevereiro deste ano.

Veja mais sobre a operação na matéria publicada na terça-feira pelo G1

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui