Imagem Ilustrativa / Reprodução

O clarão no céu avistado em Guanambi na noite desta quinta-feira (3) não foi a passagem de um asteroide. Segundo o Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas  (IAG) da Universidade de São Paulo (USP), trata-se de um bólido, um tipo de meteoro maior do que os avistados normalmente.

Os bólidos também são conhecidos como “bola de fogo”. O fogo causado pelo atrito com a atmosfera terrestre pode causar um brilho duas vezes maior do que da lua cheia.

Imagem foi registrada por uma moradora na noite desta quinta-feira (3)

A Agência Sertão entrou em contato com o Departamento de Astronomia do IAG e enviou as fotos registradas por uma moradora do bairro Anita Cardoso. Os pesquisadores do órgão responderam explicando do que se tratou o fenômeno.

“Vocês viram um bólido. Chamam-se bólidos os meteoros maiores, que queimam por atrito ao atravessar a atmosfera em alta velocidade e deixam uma trilha no céu”, disse o IAG.

O Instituto explicou ainda que normalmente os meteoros são muito pequenos, têm poucos centímetros e queimam totalmente em poucos segundos. “Esses a gente vê como um rápido traço luminoso no céu noturno, são as conhecidas estrelas cadentes”, explicou.

Já os bólidos são maiores e mais raros. “Eventualmente entram na atmosfera da Terra objetos maiores, mais ou menos do tamanho de uma bola de futebol, foi um desses que vocês testemunharam. Eles queimam por muito mais tempo, deixam uma trilha por onde passam (que pode durar vários segundos) e às vezes provocam um estrondo sônico (já que se deslocam acima da velocidade do som)”, concluiu o IAG.

O IAG informou ainda que não realiza acompanhamento desses objetos. Este trabalho é feito pelo Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros, a Bramon.

No site da Bramon é possível relatar e consultar registros de ocorrências de meteórios. No entanto, o objeto avistado no céu de Guanambi ainda não foi registrado por nenhum observador.

O vídeo acima mostra o registro de um bólido capturado por câmeras em Minas e São Paulo no ano de 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui