Foto: Agência Sertão

Não deve chover de forma significativa em Guanambi e Região até as vésperas do Natal. Os prognósticos dos principais institutos de meteorologia apontam que o tempo deverá ficar firme até o fim da primavera.

As comemorações do Natal no entanto podem ocorrer sob chuva, ainda que os volumes previstos não sejam tão significativos, a tendência é de que o tempo volte a ficar chuvoso nos primeiros dias do verão.

Em Guanambi, os volumes de chuva registrados desde o início do período chuvoso estão muito abaixo da média. Embora tenham sido registradas chuvas intensas em localidades da região, o pluviômetro da Agência Sertão, localizado no centro da cidade, registrou apenas 87 mm de acumulado nos meses de outubro, novembro e início de dezembro.

Nas regiões de maior altitude, como na Serra Geral, já há registros de acumulados próximos a 300 mm. As chuvas que caíram sobre a região se concentraram principalmente nestas regiões. Em Caetité, segundo a prefeitura, foram registrados 93 mm de chuva somente na noite do último domingo (8). A água danificou o calçamento de algumas ruas e um homem morreu após ser arrastado pela enxurrada.

A bacia do rio Carnaíba de Dentro recebeu chuvas significativas no final de outubro e no último final de semana. Toda a água que caiu na região ajudou a barragem de Ceraíma a recuperar parte de seu volume.

A irregularidade das chuvas durante toda a primavera inviabilizou a agricultura na região. A maioria dos agricultores não arriscou plantar seus cultivos devido à baixa umidade do solo. As pastagens também apresentam dificuldade de desenvolvimento, prejudicando o desenvolvimento da pecuária.

Regiões produtoras do Estado, como a região Oeste, também enfrentam problemas relacionados à irregularidades das chuvas. Agricultores dos municípios de Barreiras, Luis Eduardo Magalhães, São Desidério, entre outros, registraram perdas significativas em seus plantios.

Regiões próximas, como o Norte e Noroeste de Minas e Sul Baiano tiveram registros de chuva mais regulares.

A formação de Vórtices Ciclônicos de Altos Níveis sobre a região nordeste, ao mesmo tempo da atuação do fenômeno meteorológico denominado Zona de Convergência do Atlântico Sul, influenciou na qualidade e quantidade das chuvas na região.

Até o natal, outro fenômeno conhecido como Alta subtropical do Atlântico Sul (ASAS), que é um dos sistemas de pressão meteorológicos que atua sobre oceano, será determinante para a redução da umidade, principalmente no estado da Bahia.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui