Foto: Edu Vale/Agência Sertão

Deve voltar a chover de forma intensa e generalizada em Guanambi e Região, o tempo quente e seco deve mudar a partir da próxima segunda-feira (20). As previsões dos institutos de meteorologia apontam que o acumulado na próxima semana deve passar dos 100 mm.

As imagens dos modelos meteorológicos apontam para a formação de uma Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) aliada a uma Alta e Baixa da Bolívia. Estes fenômenos devem trazer bons volumes de chuva para as regiões Centro Oeste e Sudeste, além de áreas do nordeste, como o Sul, Centro-Sul, Oeste e Vale São Franciscano da Bahia. Também deve chover na Região Norte e no interior dos estados do Maranhão e Ceará.

Previsão de 14 a 23 de janeiro – Fonte: Windy.com

Janeiro de 2020 começou chuvoso e promete terminar do mesmo jeito, diferente de anos anteriores, quando foram registrados veranicos bastante severos. Com exceção do ano de 2016, quando o acumulado passou de 400 mm depois de um fim de ano com pouca chuva, como ocorrido também em 2019.

Do dia 31 de dezembro até o dia 7 de janeiro choveu cerca de 215 mm na cidade. Algo parecido deve se repetir na próxima semana, com a instabilidade agindo sobre a região durante pelo menos uma semana.

Após pouca chuva no início da temporada, a expectativa é de que os bons volumes de chuva previstos ajudem na reposição da capacidade dos reservatórios. Juntas, as barragens de Ceraíma e Poço do Magro, ambas em Guanambi, captaram cerca de 5,5 milhões de metros cúbicos de água com as chuvas do início do mês. Elas estão com 80% e 24,1% de seus volumes respectivamente.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Outras duas barragens da região, Estreito e Cova da Mandioca, ambas no município de Urandi, estão com apenas 19% e 9% de suas capacidades de armazenamento. Será necessária bastante chuva para que estas duas barragens não entre em colapso e afetem as atividades de irrigação na região.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui