Reprodução

Neste período de isolamento social, o preço de alguns alimentos no comércio de Guanambi passaram por algumas alterações, outros mantiveram a média. Frutas, legumes e cereais passaram por mudanças e ainda estão sujeitos a sofrerem alterações de preços devido à crise financeira que atravessa o país.

A reportagem da Agência Sertão visitou alguns comércios da cidade de Guanambi e também o Mercado Municipal, ambos estão atendendo com um fluxo reduzido de pessoas para evitar riscos de contaminação da doença.

Na semana passada, já havia subido significativamente o preço do leite, devido ao aumento da demanda em razão do isolamento social. O trigo e o óleo de soja também estavam em alta, ambos devido a alta do dólar.

No levantamento feito pela reportagem, no Mercado Municipal, o preço da caixa da cebola subiu de R$ 20,00 para R$ 45,00, e a caixa do tomate subiu de R$ 30,00 para R$ 80,00.

O preço dos cereais também sofreu alterações, em supermercados, o feijão subiu da faixa de preço de R$ 4,80 para R$ 7,25, o açúcar também teve um aumento de R$ 2,25 para R$ 2,50. Outros produtos como farinha e tapioca mantiveram os preços até o momento.

O que também chama atenção é o preço da carne que está em um menor valor, anteriormente o quilo da carne custava cerca de R$ 28,00 e caiu para uma média de R$ 26,00. No entanto, com a retomada das importações da China, é provável que o preço volte a subir nas próximas semanas.

O tomate foi o produto que teve maior alta no mercado, nem só em Guanambi, mas em todo o país.  Segundo o site Correio, a informação do aumento foi confirmado pelo Índice Nacional de Preços do Consumidor Amplo (IPCA) e pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). O IBGE ainda acrescenta que “o tomate foi o produto que mais aumentou em março e o que mais puxou a inflação do mês na região”. Ressaltou ainda, que o valor do fruto “aumentou muito no país como um todo, não só na Bahia, o que indica dificuldades com a safra do produto de uma forma geral”.

Ainda não há como informar se haverá ou não aumento nos produtos nos próximos meses, isso dependerá do desfecho acerca da pandemia que consequentemente afeta a economia dos países.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui