Destaque Guanambi
Foto: Tiago Marques / Agência Sertão

Uma reportagem publicada pelo Uol no último sábado (2) informou que apenas um dos 324 municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes não tinha notificado casos confirmados de covid-19 até a sexta (1º), segundo o Ministério da Saúde.

Entre as cidades com mais de 80 mil habitantes, segundo a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), apenas oito não tinham casos. Guanambi é uma delas segundo informações da secretaria municipal de Saúde, as demais não foram divulgadas.

Segundo a FNP, só duas cidades com mais de 100 mil habitantes ainda não tinham confirmações de coronavírus: Vespasiano, em Minas Gerais, e Santo Antônio de Jesus, na Bahia. No entanto, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Santo Antônio de Jesus afirmou ter registrado o primeiro caso da doença na sexta-feira (1º).

Localidades com casos confirmados da Covid-19

Segundo a reportagem, os dados refletem o espraiamento da epidemia pelo país e confirmam a tendência de concentração das contaminações em grandes centros urbanos, avalia o secretário-executivo da Frente Nacional de Prefeitos, Gilberto Perre. A organização contabiliza 91% dos casos em cidades com mais de 80 mil habitantes, antes da confirmação da cidade baiana.

“A proporção era de 95% dos casos em cidades com mais de 80 mil habitantes e agora vai caindo, mas muito lentamente. Constatamos que o fenômeno da pandemia é muito concentrado ainda nas grandes cidades, nas regiões metropolitanas, e deve continuar assim. O que não espraia são leitos de UTI e a estrutura médica instalada – essa estrutura está nos grandes centros”, diz Perre.

Os municípios representados pela FNP têm reclamado da ausência de diretrizes claras e centralizadas para tomar decisões durante a pandemia. O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu em 15 de abril que estados e municípios têm autonomia para definir quais são as atividades que serão suspensas e os serviços que não serão interrompidos.

O cenário, no entanto, é de crescimento da judicialização de decisões municipais sobre o enfrentamento à quarentena, segundo o dirigente da FNP. “Apesar da legalidade [para tomar decisões], eventualmente o Ministério Público ou o partido político de oposição ao prefeito de plantão podem divergir. Está havendo uma crescente judicialização das medidas de planejamento de retomada. Não há como tudo isso dar certo sem um diálogo federativo”, comenta Perre.

Em Guanambi, até este domingo (3), 86 casos suspeitos da doença havia sido notificados, sendo que 84 testaram negativo e outros dois exames aguardam resultados. Além disso, 586 pessoas que vieram de locais com incidência da doença foram ou estão sendo monitoradas.

Segundo o último boletim da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), o Estado contabiliza 3.566 casos confirmados de Covid-19, o que representa 23,51% do total de casos notificados no estado. Considerando o número de 764 pacientes recuperados e 128 óbitos, 2.674 pessoas permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, o que são chamados de casos ativos.

Os casos confirmados ocorreram em 149 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (63,01%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 habitantes são: Ilhéus (1.441,53%), Uruçuca (1.315,85%), Itabuna (1055,23%), Coaraci (1000,41%) e Salvador (782,29%).

O boletim epidemiológico registra 7.930 casos descartados e 15.168 notificações em toda a Bahia. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.

Já o Ministério da Saúde confirma 101.147 casos em todo o país, com o registro de 7.025 óbitos em decorrência da Covid-19. O avanço da doença tem causado o colapso do sistema de saúde em alguns estados. O serviço funerário também está colapsado em algumas localidades.

Veja a reportagem completa do UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui