Imagem Ilustrativa

Uma das quatro portarias publicadas nesta terça-feira (5), no Diário Oficial de Guanambi regulamenta o funcionamento dos serviços de mototaxi e motofrete em Guanambi com as medidas de prevenção à propagação do novo Coronavírus.

A principal mudança em relação às proibições até então em vigor está na liberação do empréstimo de capacetes aos clientes, que devem receber toucas descartáveis para usar com os equipamentos. Antes, o serviço estava liberado desde que os passageiros usassem o próprio equipamento de segurança.

A portaria diz que os mototaxistas e motofretistas devem usar luvas e máscaras de proteção, além de promover a higienização constante do banco, garupas, pedais e demais partes das motocicletas que possam ter contato com os passageiros, e principalmente, cuidado redobrado com a higienização dos capacetes.

A regulamentação diz ainda que o mototaxista ou motofretista que for flagrado em desrespeito a quaisquer das prescrições da portaria sofrerão sanções cabíveis, bem como terá cassação imediata do seu respectivo alvará e demais credenciamentos funcionais.

A portaria regulamentando o serviço foi possível devido às mudanças nos termos do decreto publicado nesta segunda-feira (4), prorrogando as medidas de enfrentamento ao novo Coroanavírus. Outras três portarias foram publicadas na mesma edição do Diário. Elas regulamentam o funcionamento de bares e restaurantes, igrejas e academias.

Até esta terça-feira (5), Guanambi não registra casos confirmados da doença. De 92 casos suspeitos notificados, 85 foram descartados e outros sete aguardam resultado dos exames ou coleta de materiais. Segundo levantamento da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), apenas oito municípios com mais de 80 mil habitantes não possuíam casos confirmados da doença até o fim de semana. Guanambi é um destes municípios.

Desde 17 de de março, as primeiras medidas foram tomadas para conter o avanço do coronavírus no município, com a proibição de aglomerações e cancelamento de aulas. No dia 23 do mesmo mês, o comércio considerado não essencial foi proibido de funcionar.. Somente no dia 7 de abril, um novo decreto revogou a proibição.

Outra medida ainda em vigor é o funcionamento das barreiras sanitárias que monitoram a entrada de pessoas no município. A prefeitura contratou bombeiros civis para atuar neste serviço junto a profissionais de saúde. Um decreto específico disciplinou a formação de filas em bancos e lotéricas, que continuam cheios devido à demanda pelo pagamento do auxílio emergencial.

Em relação a preparação para eventuais casos do doença, a prefeitura anunciou a criação e leitos no prédio da antiga Promater e do Hospital Municipal.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui