Imagem Ilustrativa / Reprodução

A Prefeitura de Guanambi publicou portaria em edição extra do Diário Oficial do Município, regulamentando o funcionamento de igrejas na cidade, distritos e zona rural.

A regulamentação estabelece que os templos deverão produzir suas manifestações religiosas com um contingente reduzido de frequência fiéis, para no máximo 30 (trinta) pessoas simultaneamente. Em locais menores, o quantitativo máximo poderá ser reduzido a critério da administração pública municipal.

A portaria diz ainda que o templo e ambiente destinado a manifestação religiosa deverá garantir o máximo de circulação de ar, seja com abertura completa de portas e janelas ou a utilização de climatizadores, além da obrigatoriedade do uso de máscaras para todos os frequentadores e espaçamento mínimo de 1,5 metros entre os fiéis.

Os tempos deverão disponibilizar o álcool gel em locais de fácil acesso e devem restringir a entrada de pessoas incluídas em grupos de risco.

Além disso, os responsáveis pelos templos devem promover a higienização eficiente dos espaços após o fim de cada celebração e apresentar um plano de trabalho ao poder público municipal com as medidas de prevenção a serem adotadas. As agremiações religiosas que não apresentarem o plano poderão ter o espaço interditado.

Representantes da Igreja Católica no município disseram que irão aguardar as orientações da diocese para decidirem se voltarão a realizar as celebrações.

A regulamentação foi possível devido às mudanças nos termos do decreto publicado nesta segunda-feira (4), prorrogando as medidas de enfrentamento ao novo Coroanavírus. Outras três portarias foram publicadas na mesma edição do Diário. Elas regulamentam o funcionamento de bares e restaurantes, academias e do serviço de mototáxi.

Até esta terça-feira (5), Guanambi não registra casos confirmados da doença. De 92 casos suspeitos notificados, 85 foram descartados e outros sete aguardam resultado dos exames ou coleta de materiais. Segundo levantamento da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), apenas oito municípios com mais de 80 mil habitantes não possuíam casos confirmados da doença até o fim de semana. Guanambi é um destes municípios.

Desde 17 de de março, as primeiras medidas foram tomadas para conter o avanço do coronavírus no município, com a proibição de aglomerações e cancelamento de aulas. No dia 23 do mesmo mês, o comércio considerado não essencial foi proibido de funcionar.. Somente no dia 7 de abril, um novo decreto revogou a proibição.

Outra medida ainda em vigor é o funcionamento das barreiras sanitárias que monitoram a entrada de pessoas no município. A prefeitura contratou bombeiros civis para atuar neste serviço junto a profissionais de saúde. Um decreto específico disciplinou a formação de filas em bancos e lotéricas, que continuam cheios devido à demanda pelo pagamento do auxílio emergencial.

Em relação a preparação para eventuais casos do doença, a prefeitura anunciou a criação e leitos no prédio da antiga Promater e do Hospital Municipal.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui