Reprodução

O valor referente à compra de 750 respiradores adquiridos pelo Consórcio Nordeste foi devolvido nesta terça-feira (9) pela empresa Pulsar, que não conseguiu cumprir os prazos de entrega exigidos no contrato.

De acordo com a Secretaria de Comunicação da Bahia (Secom-BA), por uma questão de segurança, o presidente do Consórcio, Rui Costa, solicitou a imediata devolução dos recursos quando a empresa não cumpriu o prazo de entrega.

Ainda conforme a Secom, a decisão já foi informada aos demais governadores e o valor referente a cada Estado já está sendo transferido para as respectivas contas oficiais. O valor total da compra foi de U$ 7.930.000,00.

Em episódio anterior, o Consórcio denunciou uma fraude na compra de 300 respiradores junto à empresa HampCare, o que resultou na prisão de três envolvidos no esquema. A ação foi coordenada pela Secretaria da Segurança pública da Bahia (SSP). Na sexta-feira (5), os três foram soltos, ao fim do prazo da prisão temporária.

Na transação com a HempCare, a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) informou que o Estado da Bahia teve um prejuízo de aproximadamente R$ 10 milhões, valor antecipado à empresa, ao custo de R$ 160 mil por cada respirador. Os outros estados integrantes do consórcio pagaram, cada um, por 30 respiradores.

Além disso, o processo relacionado à Operação Ragnarock, que investiga suposta fraude na compra de respiradores pelo Consórcio Nordeste, foi encaminhado para o Superior Tribunal de Justiça (STJ), nesta terça-feira (9).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui