Reprodução / Redes Sociais

Servidores estaduais da área de Saúde fizeram um protesto em Vitória da Conquista nesta segunda-feira, 7 de setembro, dia da Independência do Brasil. A manifestação foi por melhores condições de trabalho e reajuste salarial para as categorias que compõem o quadro.

O protesto aconteceu em frente ao Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC). Vestidos de preto e com faixa, balões, cruzes e cartazes, cerca de 200 enfermeiros, técnicos, fisioterapeutas e psicólogos participaram de uma passeata durante o ato. Os manifestantes aproveitaram o feriado da independência devido à simbologia da data.

Entre as principais reivindicações do protesto está o pagamento do adicional de insalubridade. Os servidores querem receber o benefício de 40% referentes à exposição a risco, devido ao HGVC ser um hospital de referência no tratamento da Covid-19. Eles também pedem mais equipamentos de proteção individual e reclamam da sobrecarga de trabalho e da falta de reajuste salarial que não acontece há 9 anos segundo representantes dos trabalhadores.

Os profissionais alegam que estão sendo expostos aos riscos da Covid-19 e que servidores terceirizados estão recebendo o adicional de insalubridade, mas os trabalhadores de carreira não têm o benefício.

A unidade de saúde possui atualmente 38 leitos clínicos e mais 40 leitos de UTI exclusivas para tratamento de pacientes diagnosticados com a Covid-19. O HGVC é o principal hospital da Regional Sudoeste de Saúde para o tratamento da doença, englobando 74 municípios e uma população de 1,8 milhão de habitantes.</p>

Outros hospitais com leitos referenciados na rede SUS para tratamento da Covid-19 na região são o Hospital De Clinica De Conquista, com 20 leitos clínicos e 10 de UTI e o Hospital São Vicente de Paulo, com 40 leitos clínicos e 10 de UTI. O Hospital Geral de Guanambi (HGG) dispõem de oito leitos clínicos para tratamento da Covid-19.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui