35.1 C
Guanambi
27.4 C
Vitória da Conquista

Startup baiana desenvolve hidromel a partir de mel cristalizado

Mais Lidas

A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) divulgou nesta segunda-feira (11) que startup baiana produz o San’Mielle, hidromel a partir de mel cristalizado. O hidromel é uma bebida originalmente feita de água e mel fermentado, sendo uma das mais antigas consumidas pelo homem, conhecida como a bebida favorita dos deuses. Na mitologia Nórdica, os Vikings acreditavam que o hidromel tinha poderes mágicos e de cura, capazes de aumentar força, vigor e fertilidade.

Conforme informações da Secti, o insumo cristalizado tem baixo valor econômico, principalmente no Nordeste, apesar de ser uma matéria-prima de qualidade. A cristalização é um processo natural dos méis que têm maior concentração de glicose. Esse foi o gatilho para Samira Cavalcante, doutora em Ciências Agrárias pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e CEO da San’Mielle, orientada pelo doutor Carlos Alfredo de Carvalho, realizar uma pesquisa de hidroméis com esta substância. “Ao contrário do senso comum, a maioria dos meles cristalizam e isso pode ser um sinal de pureza. Lembrando que mel cristalizado é diferente de mel açucarado, este sim é um produto de má qualidade ou adulterado”, destaca.

O processo de fermentação segue as normas da legislação brasileira. O Hidromel, de acordo com a Portaria Nº 64, de 23 de abril de 2008, é uma bebida de graduação alcoólica de 4 a 14% em volume, 20°C, obtida pela fermentação de mel de abelha, sais nutrientes e água potável. Para Samira, é importante lembrar que cada produção realizada é única, apesar de seguir a mesma receita. “É preciso ter todos os cuidados necessários para permitir que ocorra uma fermentação de maneira saudável, na qual as leveduras trabalham sem sofrer nenhum tipo de estresse, evitando aromas desagradáveis e irreversíveis durante o processo”.

A San’Mielle trabalha com dois tipos de hidroméis, o tradicional e o envelhecido. O primeiro, segue uma linha floral e frutada, dando um sabor mais refrescante. Enquanto o segundo fica seis meses em chip de carvalho francês antes de ser envasado. O hidromel da startup é uma bebida versátil que pode ser consumida como vinho, acompanhando diferentes momentos e pratos.

O projeto, que tem caráter sustentável e utiliza méis de cooperativas e associações com base na agricultura familiar, tem apoio do Grupo de Pesquisa Insecta, do Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas (CCAAB), da UFRB. A startup também conta com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), que é vinculada à Secti, por meio do Edital Inventiva.

Bahia Faz Ciência

A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) estreou no Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador Científico, 8 de julho de 2019, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ciência, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros.

As matérias são divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estão disponíveis no site e redes sociais da Secretaria. Se você conhece algum assunto que poderia virar pauta deste projeto, as recomendações podem ser feitas através do e-mail ascom@secti.ba.gov.br.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas