Boa tarde, amigo ouvinte.

Estamos mais uma vez, juntos, aqui na 96 Fm, para aprenderemos um pouco mais sobre nossa Língua Portuguesa. Dicas bem BAKANAS para nos expressarmos utilizando uma forma mais correta.

Se somos o que falamos, precisamos então nos atentar em relação a isso. Sei que existem erros que são absolutamente compreensíveis, entretanto, se temos a oportunidade de aprender a não mais cometê-los devemos então aproveitar. É por isso que o Cuidado com a Língua oferece a você, mais uma vez, a oportunidade de sanar suas dúvidas e se especializar em nossa língua. Então, vamos nessa porque aprender nunca é demais.

No programa de hoje, falaremos sobre um equívoco cometido por muitos de nossos ouvintes, principalmente quando esses escrevem nas redes sociais, quanto ao uso de ME e do MIM. Essa dúvida, por sinal, foi até sugerida como explicação pelo nosso querido apresentador do mix 96, Thiago Marques, uma vez que não aguentava mais ler os comentários inequívocos dos seus amigos de rede… não é mesmo Thiago?

Pois bem…

Em um programa anterior já deixamos bem claro para vocês quando devemos usar o EU e o MIM, entretanto, o mim aparece mais uma vez como causador de confusão. Embora seja tão fácil emprega-lo. Então, preste bastante atenção para não mais cometer esses erros, pois é muito fácil utilizar esses pronomes.

O MIM (M – I – M) e ME (M-E) são pronomes pessoais oblíquos relativos à 1.ª pessoa do singular, ou seja, referem-se à mesma pessoa… talvez seja por isso que são causadores de tanta confusão. Contudo, apesar disso, assumem diferentes funções nas orações.

O primeiro deles, o Mim é um pronome pessoal oblíquo tônico e, por conta disso, deve sempre vir regido por uma preposição. Ou seja deve sempre vir acompanhado por uma preposição: por, para, de, a, com. Nesse caso, ele exercerá a função de objeto indireto do verbo.

Exemplo:

Ele gosta muito de mim.

Você trouxe isso para mim?

Isso foi dado a mim

Já o pronome Me, por ser pronome pessoal oblíquo átono, não vem acompanhado de preposição e está sempre a serviço do verbo, podendo assumir a função tanto de objeto direto quanto indireto.

Exemplo:

Minha mãe me ama muito!

Deixaram-me sozinha na sala.

Meu filho me deu um relógio.

Entenderam a diferença? Sabem agora onde e como emprega-los?

Vejamos então como o grupo Revelação empregou bem esses dois pronomes em uma mesma música.

“O que mais quero é te dar um beijo

E o seu corpo acariciar

Você bem sabe que eu te desejo, está escrito no meu olhar

O teu sorriso é um paraíso onde contigo eu queria estar

Ai quem me dera se eu fosse o céu você seria o meu luar

 

Eu te quero só pra mim

Como as ondas são do mar

Não dá pra viver assim

Querer sem poder te tocar”

(EU TE QUERO SÓ PARA MIM – GRUPO REVELAÇÃO)

Perceberam?

A forma correta é “Ai quem me dera se eu fosse o céu”… e não “ai quem mim dera se eu fosse o céu”. Da mesma forma que o correto seria “eu te quero só pra mim” e não “eu te quero só pra me”.

Viram como na 96 fm as questões do nosso Português se tornam fáceis!

Envie sua dúvida que teremos o maior prazer em responder. Você pode fazer isso através das redes sociais, pelo site da guanambifm.com.br e agora pelo aplicativo da Guanambi FM. O que você não pode nunca é permanecer com esta dúvida e a 96fm, o mix 96 e o Cuidado com a Língua estão aqui para atender você e tornar a nossa língua mais fácil e descomplicada para que você se saia bem nas provas e no dia a dia.

Toda segunda-feira, dentro do mix 96, Cuidado com a Língua, comigo, Fernanda Araújo.

Deixe uma resposta