Obras da linha de transmissão de energia próximo ao distrito de Ceraíma em Guanambi - Foto: Tiago Marques / Agência Sertão

O município mineiro de Jaboticatubas, localizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte, vive uma situação muito parecida com a ocorrida no município baiano de Urandi, localizado justamente na divisa entre os dois estados, distantes 750 quilômetros uma da outra.

A cidade de 20.143 habitantes possui 75 casos confirmados da doença, de acordo com o último boletim epidemiológico, divulgado neste domingo (24). Já a cidade baiana de 16.658 habitantes tinha 45 infectados na mesma data.

Entre os dois municípios, muitas diferença sociais e econômicas, mas em comum, a taxa de incidência do Coronavírus e a circulação de trabalhadores de diferentes regiões por conta de obras de construção de linhas de transmissão de energia.

Em entrevista ao Estado de Minas, o secretário de governo Rafael Lucas disse que a disparada de casos de Covid-19 em Jaboticatubas foi causada pela contaminação de colaboradores da empreiteira Cobra Brasil, alojados ou em trânsito na localidade.

O secretário afirmou que a empresa, pertencente ao Consórcio Mantiqueira, ganhou uma licitação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), autarquia ligada ao governo federal, para a instalação de linhas de transmissão de energia por várias cidades da região, incluindo Jaboticatubas.

Ele disse ainda que a equipe mobilizada no projeto reúne 213 pessoas. Uma delas apresentou sintomas da virose e foi testada. Diante do diagnóstico positivo, a secretaria municipal de saúde decidiu aplicar o exame às 47 pessoas mais próximas do convívio do trabalhador. Treze delas teriam acusado a presença do vírus – todas assintomáticas. Na última sexta-feira (22), após todos os 213 trabalhadores da empresa serem submetidos ao teste rápido, o número de infectados subiu para 63.

Já em Urandi, um trabalhador da empresa Planova, pertencente ao consórcio da Equatorial Energia, testou positivo para Covid-19 após apresentar sintomas no último dia 11. Na mesma pousada em que ele se alojou na vizinha Guanambi, 13 pessoas também testaram positivo por meio de testes rápidos e mais duas por meio de exame laboratorial no Lacen/BA. Em Urandi o número de casos confirmados chegou a 45.

Assim como Urandi, Jaboticatubas também não conta com estrutura hospitalar para enfrentar uma escalada da doença. Os dois municípios possuem apenas estruturas de triagem e primeiros socorros, sendo dependentes de regulação em seus respectivos sistemas estaduais para casos mais graves.

Outra semelhança que une as duas cidades são as medidas tomados pelos prefeitos. Em Jaboticatubas, o prefeito Eneimar Adriano Marques decretou o fechamento de todo o comércio e serviços, com exceção de farmácias e postos de combustíveis no último fim de semana e deve repetir a medida no próximo. Durante a semana os servições considerados essenciais voltam a funcionar.

Em Urandi, medida semelhante foi tomada pelo prefeito Dorival Barbosa (PP) e vigora até a próxima quarta-feira (27). Para este período foram antecipados dois feriados estaduais e um municipal e o prefeito aproveitou para permitir somente o funcionamento de farmácias e postos de combustíveis durantes estes dias, como medida para tentar diminuir a circulação de pessoas nas ruas. Desde o surgimento dos primeiros casos, a venda de bebidas alcoólicas está vedada em todo o território do município.

Os gestores dos dois municípios também lamentaram o fato de não poderem contar com estrutura de segurança e logística para fortalecer barreiras sanitárias e aumentar a fiscalização das medidas restritivas.

 

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui