Reprodução

Após forte reação de especialistas, políticos e integrantes do Judiciário sobre a forma de divulgação dos dados do coronavírus nos últimos dias, o Ministério da Saúde recuou e prometeu retomar a divulgação detalhada dos impactos da doença.

A pasta divulgou neste domingo (7) duas notas nas quais afirma que está finalizando uma plataforma que trará os números detalhados da pandemia. Na última delas, voltou a falar em problemas técnicos e oficializou a intenção de divulgar os dados com base na data da morte, não na data em que se confirmou que a pessoa morreu por coronavírus segundo os registros oficiais.

O Ministério da Saúde ainda prometeu deixar acessível para consulta o acumulado de casos, já que havia o temor de que casos cuja confirmação atrasasse poderiam sumir dos registros oficiais.

Nos últimos dias, o governo passou a informar somente o número de casos e mortos computados nas últimas 24 horas, omitindo do site informações do acumulado de casos e o detalhamento por estados. Agora, segundo o Ministério, a nova plataforma mostraria dados do Brasil, de regiões, estados, capitais e regiões metropolitanas “com os respectivos gráficos de evolução diária dos novos registros”.

Segundo o Metro 1, o sumiço dos dados acumulados no site do Ministério da Saúde levou o Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) a criar uma plataforma própria para divulgação das informações. A entidade afirmou que os dados serão atualizados diariamente às 17h, horário em que as informações são enviadas ao Ministério da Saúde para consolidação do boletim nacional.

Em nota, o presidente do conselho e secretário de Saúde do Pará, Alberto Beltrame, afirma que as decisões de gestão em saúde devem ser pautadas por “ciência, verdade e informação precisa e oportuna”. O balanço do site do Conass aponta que ontem o país registrou 680.456 casos confirmados e 36.148 óbitos de pessoas com a Covid-19.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui