Foto: Reprodução/TV Bahia

O fogo que tem consumido a vegetação nativa da zona rural da cidade de Barra, no oeste da Bahia, chegou às casas de moradores na quarta-feira (23). Nesta quinta (24), quando o incêndio completa nove dias, nove bombeiros chegaram ao município para reforçar o combate às chamas.

O incêndio já é considerado o maior da história da cidade de Barra, pelas autoridades locais. Ele ainda não foi totalmente controlado e até o momento ninguém ficou ferido. Os moradores do povoado de Bebedouro, gravaram vídeos, desesperados, das chamas atingindo casas e propriedades rurais no local.

“Gente, olha essa situação que a gente se encontra nesse momento. O fogo acabando com tudo. Até a cerca está pegando fogo. O pessoal da brigada já está aqui trabalhando, tentando parar o fogo, mas a situação está complicada. Muito complicada”, diz uma mulher em uma das gravações.

As imagens são impressionantes. Em várias delas é possível ver o fogo bastante alto, muitas chamas e cortinas de fumaça densas e escuras. Em alguns dos vídeos também é possível ver o trabalho das aeronaves usadas para apagar os focos do incêndio.

Segundo o G1, na quarta-feira, outras duas aeronaves foram enviadas para ajudar os bombeiros que atuam no incêndio. As chamas começaram no dia 15 de setembro e a proporção da área atingida passa dos mil hectares, um espaço equivalente a mil campos de futebol.

Confira a reportagem da TV Bahia

Incêndio em Guanambi e região 

Na cidade de Guanambi vários incêndios foram registrados em lotes e áreas de vegetação, nesta quarta-feira (23). Os registros foram feitos pela brigada de incêndio da Superintendência Municipal de Trânsito (Smtran).

De acordo com o órgão, o primeiro foco de incêndio ocorreu no Residencial dos Pássaros, por volta das 12h. O fogo atingiu grande parte da vegetação, em uma área aberta, próxima há algumas residências.  Na tarde, outro incêndio foi registrado nas imediações da Lagoa de João Amaral, às margens da Avenida do Trabalhador. E a noite outro incêndio foi registrado no bairro Monte Azul, por volta das 21h.

O tempo quente e seco característico desta época do ano contribui para o surgimento de grandes queimadas. No último final e início desta semana foram registradas altas temperaturas na região e a umidade relativa do ar chegou a níveis críticos.

Além disso, a vegetação seca devido há mais de 160 dias sem chuva significativa, deixa o período mais propício a grandes queimadas, sobretudo em vegetações na zona rural.

Um exemplo foi o incêndio de grandes proporções que consumiu uma área de vegetação próximo à cidade de Caetité, neste domingo (20). O desastre atingiu uma área de Gerais, na região do alto do Brás, próximo a um reservatório da Embasa e da BA-156, rodovia que liga a BR-030 ao distrito de Brejinho das Ametistas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui