Imagem de satélite mostra área queimada e focos ainda ativos. FIRMS Fire Information for Resource Management System

Pelo menos seis grandes incêndios estão fora de controle e as chamas consomem grandes áreas de Gerais no município de Cocos, na Oeste da Bahia. No maior deles, o fogo consumiu uma faixa que vai da divisa com Minas Gerais até próximo à divisa com Goiás, em uma faixa que pode chegar a mais de 100 Km de extensão, atingido as matas das cabeceiras de três importantes rios que cortam o município, o Carinhanha, Itaguari e Formoso.

O primeiro foco de calor deste incêndio foi detectado por volta de 1h da manhã da última quarta-feira (30), próximo a uma fazenda, na região de Catulé. No decorrer dos dias, o fogo foi se alastrando rapidamente pela vegetação seca por todas as direções, sendo controlado apenas próximo às grandes fazendas do entrono do Gerais.


Local onde foi detectado o primeiro foco de calor, na madrugada da última quarta-feira (30).

Estimativas obtidas pelos satélites de monitoramento do Instituto Nacionais de Pesquisas Espaciais (INPE) e da Nasa permitem afirmar que o fogo consumiu mais de 30 mil hectares apenas nesta região desde de seu início há quatro dias. Os outros incêndios juntos somam pelo menos mais 30 mil hectares até o momento.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Agenor Neto, disse que tem recebido informações sobre diversos focos de incêndio na zona rural do município e que há grande dificuldade para combater as chamas, como o difícil acesso e a falta de equipamentos e de pessoal treinado para esta função. A região onde ocorre o maior incêndio fica distante cerca de 150 quilômetros da sede do município.

Ele disse que já formalizou pedido de ajuda ao Corpo de Bombeiros do Estado e ao programa Bahia Sem Fogo, mas que ainda não obteve apoio. Neto quer que os órgãos mandem aeronaves sobrevoar o município para poder identificar os locais ainda com focos. A Agência Sertão não conseguiu contato com os responsáveis pelo programa.

Imagem de Satélite em 27 de setembro mostra alguns focos e a vegetação ainda bastante integra
Imagem de Satélite 4 de outubro mostra as grandes áreas já destruídas pelo fogo

Ouvido pela reportagem da Agência Sertão, o responsável pela área ambiental de uma fazenda próxima ao local de origem do fogo disse que é comum o surgimento de focos neste período por conta do calor e da seca e que o fogo na região da fazenda já está controlado.

No entanto, imagens de satélite obtidas no fim da tarde deste domingo (4) mostram que o fogo ainda avança com velocidade pela mata em várias direções. A região com maior número de focos no momento fica praticamente dentro do Parque Nacional Grande Sertão Veredas, importante refúgio da fauna e vertedor de águas que abastece alguns dos principais afluentes do São Francisco na região Nordeste. A Agência Sertão não conseguiu contato com a gestão do Parque.

Às 19 horas deste domingo, mais de 150 focos de incêndio foram captados pelos satélites dentro do município de Cocos.

De janeiro a até agora, 5.053 focos de incêndio foram registrados nos 10.084 km² de território do município, o 129º maior do país e o 7º maior da Bahia. No mesmo período do ano passado foram 3.702, aumento de 36%.

Cocos é o segundo município baiano com mais focos de incêndio este ano, atrás apenas de Formosa do Rio Preto, que já registrou 7.553 focos. Em todo o Estado foram registrados 83.286 focos, diminuição de 7,8% em relação ao mesmo período de 2019, quando foram registrados 90.317 focos.

A situação ainda não deve ser controlada nos próximos dias, caso não haja um esforço para controlar as chamas. As temperaturas continuarão altas no município, podendo passar de 40ºC no decorrer da semana. A umidade relativa do ar deve cair abaixo de 9%. A esperança é a previsão de pancadas de chuva no início da próxima semana.

Previsão do tempo em Cocos / Fonte: Seagri

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui