26.8 C
Guanambi
20.6 C
Vitória da Conquista

Pico da segunda cheia do ano no Rio São Francisco atravessa Norte de Minas e se aproxima da Bahia

spot_img
- Advertisement -

Últimas Notícias

Tiago Marqueshttps://agenciasertao.com/
Tiago Marques é redator e editor do site Agência Sertão. Trabalha com produção de conteúdo noticioso para rádio e internet desde 2015.
- Advertisement -

O pico da segunda cheia do rio São Francisco em 2022 está atravessando o Norte de Minas nesta segunda-feira (28). O nível da água tem subido de forma mais intensa entre as cidades de Januária e Manga, última do estado antes do rio ganhar a Bahia. Nestas localidades, o nível do Velho Chico deve alcançar patamares mais elevados do que os registrados em janeiro.

A imensidão da bacia hidrográfica do rio São Francisco faz com que as cheias continuem rio abaixo mesmo com as chuvas diminuindo. Os mais de 2.800 quilômetros de leito das principais nascentes, em Minas, até a foz no Oceano Atlântico, na divisa de Alagoas e Sergipe, recebem águas de afluentes em uma área de 641.000 km², quase 8% do território nacional.

O escoamento natural das águas, controlado pela Hidroelétrica de Três Marias, no Médio e pela Hidroelétrica de Sobradinho e demais usinas até Xingó, no Sub-médio, proporciona ao Velho Chico uma cheia lenta e gradual. Considerando os níveis alcançados e o prolongamento, a cheia de 2022 é uma das maiores desde 1992, não sendo superada apenas pela cheia de 2007 em alguns trechos.

Apesar da garantia de água e de peixes em abundância para o decorrer do ano, a cheia afeta comunidades ribeirinhas e lavouras, alagadas pelos braços que se abrem com a cheia, alcançando em alguns pontos lagoas a quase 10 quilômetros do leito.

Muitos destes moradores em todo o traçado do rio tiveram que deixar suas casas e alguns chegaram a voltar quando o nível da água abaixou no início de fevereiro, porém, as novas chuvas que caíram sobre a bacia adiou a volta.

Durante a cheia, a travessia por balsas em localidades onde não há pontes construídas. Em alguns locais, o serviço chegou a ficar interrompido na fase mais aguda da enchente ou precisaram mudar os locais de embarque e desembarque, tornando a travessia mais demorada, e em alguns casos mais inseguras.

Norte de Minas

De acordo com os dados do Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM), da hidroelétrica de Três Marias até o município de São Francisco, o processo de rebaixamento foi iniciado no fim da última semana. No entanto na maior parte destas localidades, o rio continua acima da cota de inundação.

Este cenário deve começar a mudar nos próximos dias, com a diminuição da defluência do reservatório da usina de 3.000 metros cúbicos por segundo (m³/s) para 2.200 m³/s iniciada na última sexta-feira. O reservatório chegou a quase 94% de seu volume antes de entrar em processo de esvaziamento lento com a diminuição da afluência. O volume nesta segunda-feira chegou a 92,55%.

Neste trecho abaixo da barragem o nível do rio ficou muito próximo dos patamares alcançados em janeiro. Na cidade de São Romão, a cota alcançada na última sexta-feira (25) foi de 9,49 metros (m), apenas 16 centímetros (cm) a menos do que o registrado em 20 de janeiro, quando o nível chegou a 9,65 m. Durante o fim de semana, a vazão começou a diminuir e o nível chegou a 8,64 m.

Na cidade de São Francisco, o nível alcançado desta vez foi de 9,98 m. Em 21 de janeiro, o nível chegou a 10,17 m. Agora, o rio já recuou alguns centímetros, chegando a atual cota de 9,73 m e com tendência de recuar ainda mais nas próximas horas.

Já nos municípios à jusante, até a Hidroelétrica de Sobradinho, o nível ainda continuará em elevação pelas próximas semanas. Em Manga, faltam poucos centímetros para o rio alcançar os 8,50 m do fim de janeiro. O nível medido durante a manhã é foi de 8,42 m e mais alguns centímetros devem ser alcançados até sexta-feira (3).

Em janeiro, as águas do rio São Francisco chegaram a avançar sobre algumas ruas de Manga. O problema aconteceu devido ao rompimento do dique de uma lagoa, que transbordou após ser invadida pelas águas.

Bahia

Devido à menor declividade do leito do Velho Chico na Bahia, a diminuição do nível entre durante a estiagem do final de janeiro foi pequena em relação às cidades de Minas Gerais. Em Malhada em Carinhanha, primeiros municípios do estado a receberem as água. Nestas localidades o pico foi alcançado no dia 20 de janeiro, quando o rio atingiu 8,20 m.

A cota atual registrada na última medição foi de 8,04 m, elevação de 5 cm em 24 horas. Tendo em vista a localização do pico da cheia, a tendência é de que o rio avance mais alguns centímetros até o fim desta semana nestas duas cidades.

Além das chuvas muito acima da média registradas no final de dezembro e início de janeiro, estes dois municípios têm muitas áreas rurais isoladas ou debaixo d'água. Os moradores e agropecuárias sofrem com o alagamento de pastagens e lavouras.

Em Bom Jesus da Lapa, mais aos interior do estado, o nível também segue em elevação. Depois de alcançar 9,20 m no início deste mês, as medições atuais são de 9,06 m.

Sobradinho

O reservatório da Hidroelétrica de Sobradinho alcançou o volume de 78.51%. A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) mantém a vazão defluente em 4.000 m³/s há mais de um mês e meio, mas o volume segue subindo, pois a afluência chegou a 6.000 m³/s. Até 10 de março, não está prevista alteração na defluência da usina.

 

- Advertisement -
- Advertisement -

Relacionadas

Deixe uma resposta

- Advertisement -

Mais Lidas

- Advertisement -