21.7 C
Guanambi
18.8 C
Vitória da Conquista

Ideb da Bahia melhorou, porém estudantes tiveram o segundo pior desempenho em Matemática e Língua Portuguesa do país

Aumento da taxa de aprovação durante a pandemia foi a principal causa do aumento do Ideb na Bahia

Mais Lidas

https://materiais.henet.com.br/guanambi

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgaram nesta sexta-feira (16), o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2021 foram divulgados nesta sexta-feira (16).

O Ideb da Bahia na rede estadual foi o terceiro que mais cresceu, saltando de 3,2 para 3,5. O estado deixou a lanterna do ranking que ocupava com o Amapá, Pará e Rio Grande do Norte e ultrapassou ainda Alagoas e Maranhão.

O aumento no índice, no entanto, vem acompanhado de piora na Nota Média Padronizada (N), obtida nas avaliações do Saeb de Matemática e Língua Portuguesa. O que aumentou foi apenas o Indicador de Rendimento (P), calculado pela taxa de aprovação dos alunos.

Como durante a pandemia, muitas redes de ensino evitaram ao máximo as reprovações, elevando este indicador e consequentemente também o Ideb, já que o índice é calculado multiplicando os dois indicadores (NxP).

Em relação a 2019, o indicador de rendimento da rede estadual da Bahia soltou de 0,78 para 0,88, entretanto, a nota média das provas do Saeb caiu de 4,09 para 3,96. O rendimento dos estudantes baianos caiu tanto no exame de Língua Portuguesa, quanto no de Matemática.

Considerando apenas as notas do Saeb, o rendimento foi o segundo pior do país, à frente apenas do Maranhão, que atingiu 3,92 nas avaliações.

Indicador de Rendimento, Nota Média padronizada e Ideb – Comparativo 2019/2021

EstadoIndicador de Rendimento (P) – 2019Indicador de Rendimento (P) – 2021DiferençaNota Média Padronizada (N) – 2019Nota Média Padronizada (N) – 2021DiferençaIdeb 2019Ideb 2021Diferença
Paraná0,900,960,064,854,79-0,064,44,60,2
Goiás0,950,980,034,934,64-0,294,74,5-0,2
Ceará0,940,990,044,474,42-0,054,24,40,2
São Paulo0,910,940,034,714,63-0,074,34,40,1
Pernambuco0,950,950,004,664,64-0,024,44,40,0
Espírito Santo0,900,930,035,054,77-0,284,64,4-0,2
Tocantins0,900,960,064,334,32-0,013,94,10,2
R. G. do Sul0,810,860,054,894,71-0,184,04,10,1
Piauí0,870,960,094,284,18-0,103,74,00,3
Distrito Federal0,830,850,024,754,66-0,094,04,00,0
Minas Gerais0,840,880,044,764,56-0,204,04,00,0
Sergipe0,790,940,154,254,10-0,143,33,90,6
Rio de Janeiro0,790,930,144,444,22-0,223,53,90,4
Paraíba0,830,950,124,354,14-0,213,63,90,3
Acre0,840,860,024,444,500,073,73,90,2
Rondônia0,860,890,034,694,46-0,244,03,9-0,1
Roraima0,830,860,034,254,310,063,53,70,2
M. G. do Sul0,850,83-0,024,784,48-0,304,13,7-0,4
Mato Grosso0,770,840,074,384,29-0,083,43,60,2
Amazonas0,860,920,054,013,97-0,053,53,60,1
Santa Catarina0,800,74-0,064,764,800,043,83,6-0,2
Bahia0,780,880,104,093,96-0,133,23,50,3
Alagoas0,870,870,004,184,05-0,133,63,5-0,1
Maranhão0,910,89-0,024,043,92-0,123,73,5-0,2
Amapá0,800,75-0,054,024,170,153,23,1-0,1
Pará0,800,75-0,053,933,980,053,23,0-0,2
R. G. do Norte0,790,69-0,104,034,090,063,22,8-0,4
Regiões
Sul0,850,880,034,844,76-0,074,14,20,1
Sudeste0,860,890,024,694,56-0,144,14,10,0
Centro-Oeste0,870,870,004,754,54-0,214,14,0-0,1
Nordeste0,840,910,074,274,16-0,113,63,80,2
Norte0,830,830,004,084,080,003,43,40,0

Os resultados completos pode ser consultados na página do Inep.

Aumento das aprovações

Durante o lançamento do resultado do Ideb, o Ministério da Educação ressaltou esta edição do Saeb e Ideb 2021 guardam peculiaridades por conta da pandemia. Um dos impactos importantes foram identificados nas duas últimas edições do Censo Escolar, o crescimento abrupto das taxas de aprovação da rede pública entre 2020 e 2021, quando comparadas com o período pré-pandemia (2019).

No ensino fundamental dessa rede, o percentual de aprovados passou de 91,7%, em 2019, para 98,4%, no primeiro ano da pandemia (2020). Em 2021, a taxa caiu para 96,3% (ainda 4,6 pontos percentuais acima do registrado em 2019). Já no ensino médio público, a aprovação passou de 84,7%, em 2019, para 94,4% em 2020. O percentual foi reduzido para 89,8% em 2021.

Ensino Fundamental

O melhor resultado no Ideb da Bahia no ensino público foi nos anos iniciais do ensino fundamental. O estado ocupa a nona colocação no país, com índice 6. Nos anos finais, a posição ocupada é apenas a 21ª, com índice 4,5.

Enquanto o ensino médio público é ofertado majoritariamente pelos estados, são as prefeituras as principais responsáveis pela oferta do ensino fundamental.

Duas cidades da região de Guanambi foram destaques mais uma vez na avaliação do ensino fundamental, tanto nos anos iniciais quanto nos anos finais. Das 20 escolas melhores colocadas no estado, cinco são De Licínio de Almeida e quatro de Jacaraci.

Outras cidades da região, como Tanque Novo, Sebastião Laranjeiras, Mortugaba, Cordeiros, entre outras, tiveram rendimentos satisfatórios na avaliação.

Ideb da Bahia (Rede Pública)

  • Anos iniciais do Ensino Fundamental – 6,0 – 9ª lugar
  • Anos finais do ensino fundamental – 4,5 – 21º lugar
  • Ensino Médio – 3,5 – 22º lugar (penúltimo no Saeb)

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas Notícias