Geovane Santos | Agência Sertão

Após 10 meses de atraso para o início da construção estipulado em contrato, o Prefeito de Guanambi, Jairo Magalhães, assinou a Ordem de Serviço para construção do Hospital Municipal de Guanambi. Conforme apurou a Agencia Sertão, uma parte do terreno onde inicialmente seria construído o hospital foi doada para uma igreja construir seu templo, a doação ocorreu quando o projeto já estava aprovado e o início das obras ficou prejudicado.

A assinatura da ordem ocorreu nesta segunda-feira (13), na Praça Maria de Jesus Gomes, no Bairro Ipanema, onde o complexo de saúde será construído. A reportagem da Agência Sertão esteve no local, nesta terça-feira (14), e constatou que o terreno havia sido patrolado, no entanto, não existia nenhum movimento de operários e nem material para início da construção.

Ato de assinatura da ordem de serviço – Ascom/PMG

Segundo Manoel Paulo, secretário municipal de Saúde, a empresa está se preparando para iniciar a obra. Ele explicou que por se tratar de uma obra com recurso federal, os trâmites para início são mais demorados. A expectativa é pela conclusão no prazo de 18 meses.

Desde 2 de setembro do ano passado, a Prefeitura de Guanambi contratou a empresa 7 Brasil Empreendimentos e Participações Ltda – EPP, com sede no município de Eunápolis, para a construção da sede própria do Hospital Municipal.

Única participante da concorrência, a empresa teve seu nome habilitado pela Comissão licitante em agosto de 2019, com a proposta para construção da obra no no valor de R$ 3.633.422,51.

Área patrolada para construção do Hospital Municipal de Guanambi

No dia 30 de maio, a Prefeitura de Guanambi publicou no Diário Oficial do Município, a retificação do resumo de Instrumento Contratual, referente a contratação da empresa, com material e mão de obra, destinada a construção do Hospital Municipal de Guanambi. No entanto, a ordem de serviço para início da obra ainda não havia sido expedida.

A data inicial do contrato estava fixada em 2 de setembro de 2019 e a vigência do contrato terá duração de 20 meses, ou seja, o início das obras está com 10 meses de atraso em relação ao estipulado e restam apenas 10 meses para o término da duração do contrato.

O secretário municipal de infraestrutura, Marco Antônio, informou à Agência Sertão, em maio deste ano, que por se tratar de um convênio, a alteração de terreno ainda que no mesmo bairro, como é o caso específico, demandou tempo para que a Caixa econômica acatasse a mudança, bem como a autenticidade da nova área.

Área patrolada para construção do Hospital Municipal de Guanambi

Ainda de acordo com Marco Antônio, a mudança de local para construção do hospital ocorreu, devido ao terreno possuir dimensão incompatível com o projeto.

O local onde será construída a unidade de saúde será na Praça Maria de Jesus Gomes no Bairro Ipanema – uma quadra de distância da pretensão de construção anterior. O Hospital Municipal terá área construída de 1.418 m².

Segundo o secretário, os critérios utilizados para escolha do local foram – disponibilidade de área e dimensões. No entanto, uma das contrapartidas da prefeitura é a infraestrutura do entorno e acesso, uma vez que o local ainda carece de infraestrutura, como pavimentação.

O Hospital foi planejado dividido em módulos, sendo o primeiro com 30 leitos cirúrgicos, o segundo com 30 leitos obstétricos, podendo ser ampliado para até 100 leitos.

Os recursos para construção do novo hospital são oriundos de Emenda Parlamentar do Deputado Federal Daniel Almeida e estão disponíveis desde 2015. O município entrará com contrapartida de mais de R$ 1 milhão.

Durante a assinatura da Ordem de Serviço, o Prefeito Jairo Magalhães enfatizou que “os recursos estão disponíveis para o início deste empreendimento que vai representar muito para assegurar à população uma unidade de referência no que diz respeito à saúde pública de qualidade e com acesso para todos”.

Prefeitura precisou mudar área onde será construído o hospital

Atualmente o município não dispõe de um hospital municipal. O atendimento pelo município é feito através da UPA 24 horas e pelo “hospital” que funciona desde junho de 2015, no 2.º andar do antigo Hospital São Lucas para realização de cirurgias eletivas. O custo mensal de locação do imóvel é R$ 43 mil.

Após concluída a obra, a prefeitura irá adquirir todos os equipamentos e materiais permanentes para funcionamento do Hospital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui