Reprodução

A Bahia foi o estado com maior número de cancelamento de títulos de eleitor por falta de recadastramento biométrico. No total, foram 586.333 títulos cancelados. O cancelamento de mais de  3 milhões de títulos, no Brasil, foi mantida pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Diante dos questionamentos, o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) esclarece que a última fase de recadastramento biométrico realizada envolveu, dentre outros municípios, seus três maiores colégios eleitorais, incluindo a Salvador que – à época do início do processo – possuía mais de 2 milhões de eleitores.

O órgão ressaltou que as mais de 50 cidades listadas, pelo Eleitoral para a realização da última revisão extraordinária, somavam cerca de 4,5 milhões de eleitores.

A Justiça Eleitoral baiana reforça que todas as medidas necessárias, tanto em divulgação quanto em disponibilização de postos para realização do procedimento, foram tomadas levando-se em conta o número de eleitores a serem biometrizados. “Nesse sentido, diversas ações foram realizadas no intuito de ressaltar a importância do procedimento ao cidadão e, ao mesmo tempo, incentivá-lo a comparecer aos postos e cartórios eleitorais”.

O município de Guanambi foi o único na Bahia onde o número de eleitores para a disputa das eleições 2018 será menor do que da última eleição. Entre os motivos está o recadastramento biométrico. De acordo com a Justiça Eleitoral, 6 mil títulos foram cancelados no município, por falta do comparecimento do eleitor para realização do procedimento.

O número é maior do que o de novos eleitores. Um levantamento feito pela Justiça Eleitoral mostra que o município tem cadastrado 60.392 eleitores aptos para votarem nas eleições de outubro. Em 2016, 60.409 pessoas com direito a voto estavam cadastradas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui